Vamos abandonar esse sistema!

O Brasil precisa abandonar esse sistema onde os acusados escolhem os juízes por quem serão julgados.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, texto

Postado em 23/02/2017

Quanto mais liberdade econômica, mais prosperidade

A fundação Heritage produz anualmente o respeitado índice de liberdade dos países. Composto de fatores como tamanho do governo, corrupção, burocracia, abertura econômica, segurança jurídica e outros, o índice rankeia os países dos mais livres para os menos livres. 

As conclusões são extremamente claras: quanto mais liberdade econômica houver em um país, mais próspero ele será. 

O Ranking dos Políticos defende medidas que tornem o país o mais livre possível, pois entendemos que isso beneficia especialmente os cidadãos comuns. 

Entre os países mais livres do mundo estão: Singapura, Nova Zelândia, Austrália, Chile e Canadá.

Entre os menos livres do mundo estão: Venezuela, Coreia do Norte, Congo, Irã e Argentina.

O Ranking dos Políticos se sente em ótima companhia. Em qual grupo você prefere que o Brasil esteja?

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 23/02/2017

Vamos nos livrar!

Uma das crenças da qual precisamos nos livrar é a ideia do Estado como uma gigantesca babá que faz as coisas cairem do céu para você. 

Ninguém aqui está dizendo que Estado não tinha que existir, nem que ele deveria ignorar as pessoas na miséria. 

O que precisa acabar é a ilusão de que o governo que promete te dar um monte de coisas seja algo bom.

O que o governo dá é porque já tirou de algum lugar. E é sempre o mesmo lugar: o seu bolso. E geralmente ele tira em dobro, porque o governo consegue ser tão corrupto e incompetente que até o dinheiro se transformar em algum serviço público a maior parte da grana já foi roubada ou desperdiçada.

A imagem pode conter: texto
Postado em 22/02/2017

Bem vindo ao Brasil, o país da burocracia

A imagem pode conter: texto

Postado em 22/02/2017

Temos uma má notícia...

O governo cometeu um pequeno errinho em 2013, motivado possivelmente por questões eleitoreiras. O custo?

3 VEZES O GASTO COM O BOLSA FAMÍLIA.

Quem paga? Você claro.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 22/02/2017

Queremos o fim dos impostos sobre medicamentos no Brasil!

O Governo brasileiro se diz extremamente preocupado com a saúde do cidadão brasileiro. Mas por que temos a maior carga tributária sobre o preço final dos medicamentos no mundo (33.9%)? Precisamos seguir o exemplo de países como Reino Unido, Canadá, Suécia e acabar com os impostos sobre medicamentos.

Já tramita no Senado um projeto que acaba com os impostos sobre medicamentos de uso humano. A PLC - 1097/2011 de autoria do Senador Reguffe (sem partido/DF).

A imagem pode conter: texto

Postado em 22/02/2017

Banco estatal

“Quebrei o Banespa, mas elegi o Fleury” a frase atribuída ao então governador de São Paulo Orestes Quércia.

O Brasil tem 17 Bancos Estatais. 7 Federais, 9 Estaduais e 1 Distrital. Todos "públicos", e todos com indicações políticas para posições de comando. Por que será algum político quer ser Vice-Presidente da gerência de habitação da Caixa?.

Para recuperar as contas dos estados o Governo Federal vai incentivar a privatização de Bancos e Companhias Estaduais. 
O Ranking acredita que um bom caminho para se livrar de milhares de cabides de emprego e fontes constantes de corrupção.

A imagem pode conter: nuvem, céu e texto

Postado em 21/02/2017

Não adianta arrumar apenas uma coisa

Nada atrapalha tanto a sua vida quanto a forma como o governo brasileiro funciona. Ele tem três problemas igualmente importantes, apesar de que muita gente só enxerga um:
- Incompetência
- Corrupção
- Privilégios

Vamos lutar contra a corrupção sim, mas sem esquecer os outros dois. Do contrário não resolve.

Exemplo de incompetência => gente mal preparada, planejando errado a política agrícola e deixando milhões de laranjas apodrecerem em depósitos. Isso não é corrupção. É incompetência mesmo.

Exemplo de privilégios => assistente de Xerox seguindo à risca os direitos legais dele, acumulando funções e ganhando salário de 32 mil reais por mês para tirar Xerox, totalmente dentro da lei. Isso não é corrupção. É privilégio mesmo.

O Ranking dos políticos defende pautas e leis que combatam esse três males. Você pode ser de direita ou de esquerda e mesmo assim nos apoiar nessa luta rumo a um Estado mais eficiente, limpo e justo.
A imagem pode conter: texto
Postado em 21/02/2017

O que você acha?

E aí, o que você acha? Controle de armas é uma coisa boa ou ruim? Concorda ou discorda da charge?

A imagem pode conter: texto

Postado em 21/02/2017

O tipo de brincadeira que perde a graça

A imagem pode conter: texto

Postado em 21/02/2017

Parabéns!

Hoje a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro deu um grande passo a favor da responsabilidade fiscal, aprovou o projeto que autoriza a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio (Cedae)

A imagem pode conter: listras, céu, atividades ao ar livre e texto

 

Postado em 21/02/2017

Já pensou?

O governo decidiu devolver o seu dinheiro, mas apenas de contas inativas. Já pensou se você pudesse investir o SEU dinheiro, onde quisesse? Pois veja o resultado

A imagem pode conter: texto

Postado em 21/02/2017

Triste realidade

Ao menos o trabalhador brasileiro pode contar com um sistema de saúde exemplar e uma escola de qualidade para seus filhos não é?

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

Postado em 20/02/2017

O governo fazendo economia

A imagem pode conter: 1 pessoa, meme e texto

Postado em 20/02/2017

Absurdo !

89,34% de imposto. Por que não?

A imagem pode conter: texto

Postado em 20/02/2017

Existe alguma coisa errada, não?

Além das dezenas de ministérios, milhares de funcionários.

A imagem pode conter: texto

Postado em 20/02/2017

A pergunta que não quer calar..

Ainda hoje a Petrobrás é a única empresa que pode produzir gasolina no Brasil. Um monopólio que em nada favorece o consumidor.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 20/02/2017

Não fique em dúvida sobre qual carreira escolher

Dica profissional: estude para virar porteiro do senado 

A imagem pode conter: texto

 

Postado em 20/02/2017

O sistema mais surreal e ineficiente

Quer empreender no Brasil? Quer abrir empresa, criar algum produto novo ou contratar pessoas? Prepare-se para um dos sistemas mais surreais e ineficientes do planeta, onde burocratas de toda natureza vão fazer tudo que puderem para te jogar para trás e, como consequência, deixar o país todo mais pobre junto.

A imagem pode conter: texto

Postado em 20/02/2017

Bem-vindo à selva....

A imagem pode conter: oceano, texto, água e atividades ao ar livre

Postado em 16/02/2017

A burocrata sádica

Porque o debate sempre gira em torno de mais verba para isso ou aquilo e nunca se fala em gestão e eliminação da burocracia?

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 16/02/2017

Um terço do preço dos remédios é imposto.

Eis uma das maiores vergonhas deste país. Um terço do preço dos remédios é imposto. 

Quando aquela senhora humilde tem que torrar a maior parte da pensão nos medicamentos dela, está na prática dando dinheiro para pagar os supersalários do funcionalismo, as mordomias dos senadores e o roubo, muito roubo.

Essa é a política de "redistribuição de renda" do Brasil: roubar os pobres para dar aos grupinhos de mamadores de tetas

Nenhum texto alternativo automático disponível.

 

Postado em 16/02/2017

Encarecendo os produtos...

Estes 2 ovos de páscoa foram fabricados no interior do Espírito Santo pela Nestlè. Um deles viajou 18 mil Km até o Japão.

Qual é o mais caro? Poisé

Quando falamos de Brasil, a resposta pode não ser tão simples. Ganância do fabricante? Hum... será? Nestlè brasileira é malvadona enquanto a Nestlè japonesa é boazinha?

Impostos são boa parte da resposta, mas não é só isso. Tem também os outros fatores do "custo Brasil". Problemas de transporte, regulamentações burocráticas, roubos de carga, roubos nas lojas, fraudes internas e externas, taxas e atrasos causados por mais burocracia e má infra-estrutura. Tudo isso vai encarecendo os produtos.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 16/02/2017

Você sabia?

No país dos concursos, abrir uma empresa ainda é um desafio e tanto. Nos últimos 2 anos, nada menos do que 2/3 das empresas abertas desde 2014 fecharam.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 15/02/2017

Pode apostar!

Como a prefeitura vai entregar o boleto de IPTU agora? Pode apostar que darão um jeito

A imagem pode conter: texto e atividades ao ar livre

Postado em 15/02/2017

O Ranking não recomenda.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

Postado em 15/02/2017

E aí, concordam?

Um dos nossos maiores problemas neste caos que é a violência no Brasil: todo mundo tem culpa, menos quem de fato comete os crimes.

A imagem pode conter: texto

Postado em 14/02/2017

Álvaro Dias

Álvaro Dias é o autor da PEC 10/2013 que propõe o Fim do Foro Privilegiado. Um projeto bem avaliado pelo Ranking.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Postado em 14/02/2017

Projeto, sem nunca sair do papel, gasta milhões!

Toda vez que ando no trem-bala entre o Rio e São Paulo me pego pensando: o que seria do nosso país sem ele?

A imagem pode conter: 3 pessoas, texto

Postado em 14/02/2017

Não tenha um político de estimação!

Lição para 2017: valorizar os bons atos sim. Nada de achar que "nada presta". Mas ter uma boa dose de ceticismo também e não endeusar ninguém

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Postado em 14/02/2017

Temos que lutar.

Nada atrapalha tanto a sua vida quanto a forma como o governo brasileiro funciona. Ele tem três problemas igualmente importantes, apesar de que muita gente só enxerga um:
- Incompetência
- Corrupção
- Privilégios

Vamos lutar contra a corrupção sim, mas sem esquecer os outros dois. Do contrário não resolve.

Exemplo de incompetência => gente mal preparada, planejando errado a política agrícola e deixando milhões de laranjas apodrecerem em depósitos. Isso não é corrupção. É incompetência mesmo.

Exemplo de privilégios => assistente de Xerox seguindo à risca os direitos legais dele, acumulando funções e ganhando salário de 32 mil reais por mês para tirar Xerox, totalmente dentro da lei. Isso não é corrupção. É privilégio mesmo.

O Ranking dos políticos defende pautas e leis que combatam esse três males. Você pode ser de direita ou de esquerda e mesmo assim nos apoiar nessa luta rumo a um Estado mais eficiente, limpo e justo.

A imagem pode conter: texto

Postado em 14/02/2017

Vamo que vamo!

As duas coisas tem que andar juntas. Combater a corrupção, tentar colocar os bandidos na cadeia precisa ir de mãos dadas com as mudanças no sistema atual, que permite tanta corrupção ocorrer.

Do contrário vamos ficar para sempre trocando um grupo de ratazanas por outro grupo.

É por isso que o Ranking defende medidas que reduzem muito o espaço para roubos e conchavos. Dá pra fazer. Fique de olho na agenda com a gente: é voto distrital, é redução no número de parlamentares, é fim do fundo partidário, é fim dos supersalários, é enxugamento do Estado, focando as atividades mais importantes. É simplificação de regras e burocracia e muitas outras coisas.

Lembrando, pessoal: não dá pra acabar com os mosquitos sem drenar o pântano junto!

Vamo que vamo!

A imagem pode conter: texto

Postado em 14/02/2017

O que nos resta?

Eis o Estado brasileiro: uma incrível máquina capaz de fazer uma cachoeira de dinheiro suado dos impostos ir passando pelas torneiras da burocracia, dos privilégios, da corrupção, da incompetência e se tornar apenas algumas gotinhas que retornam para quem de fato deveria se beneficiar: o povo.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

 

Postado em 14/02/2017

Congresso gasta mais com funcionários do que o estado do RS com segurança pública!

Em 2017 o congresso brasileiro e seus 28 mil funcionários (sendo mais de 80% deles comissionados e nomeados sem concurso), deve custar ao país R$ 10 bilhões. 

Se você não faz ideia de quanto custa isso, segue aqui alguns exemplos:

- Este valor é maior do que o orçamento de saúde e educação do estado de Santa Catarina, que atende 8 milhões de pessoas.

- É maior do que todo o orçamento de 6 estados brasileiros.

- É mais do que o Rio Grande do Sul gastará em educação e segurança no ano para 11 milhões de pessoas.

- É o suficiente para manter 4 milhões de crianças na escola no ensino fundamental.

- Poderia bancar 1 milhão de novas bolsas no FIES, ou aumentar em 400% o Prouni.

- Poderia manter 450 mil alunos em universidades federais

- Pagar 320 mil professores durante 1 ano.

- Bancar os gastos do SUS com 9 milhões de brasileiros no mesmo período.

Tudo isso por que na média, cada senador brasileiro emprega 140 pessoas para exercer a sua função de fiscalizar o governo e propor leis que melhorem a sua vida. 

Alguns deles, como Collor, tem 90 assessores e em 2016, não aprovaram sequer um único projeto, ainda assim, a Lamborghini do ex-presidente e atual senador esta de volta ao lar e passa bem. 

Da próxima vez que você sugerir que o governo deveria resolver isso ou aquilo, lembre-se de que esta turma aí é quem define o orçamento e suas prioridades

A imagem pode conter: texto

Postado em 14/02/2017

Vamos conhecer um pouco mais do hospício que é a lei dos impostos?

Convidamos a todos para conhecerem um pouco mais do hospício que é a lei dos impostos. É absolutamente impossível saber com certeza quanto deve-se pagar de imposto.

São tantos impostos e siglas: IPI, ICMS, ST, IPTU, IPVA, IR, CSLL, PIS, COFINS, ISS, II e mais um monte.

Cada um tem regras específicas, que mudam frequentemente e em muitos casos mudam de estado para estado. Se você trabalha por exemplo na Bahia, precisa decorar a legislação dos outros 25 estados para saber quanto pagar. O imposto muda também se o comprador é pessoa física, jurídica, se está na Zona Franca de Manaus e muda também para cada tipo de classificação de produto.

Ao todo, as possíveis combinações de impostos por região, produto, tipo de operação passam de centenas de milhões e a quantia de dinheiro perdida na contratação de exércitos de contadores e pagamento de multas é incalculável

Nosso livro Carregando o Elefante pode ser baixado gratuitamente em www.politicos.org.br/livroe possui um capítulo dedicado somente aos impostos. Ficaremos felizes em receber seus comentários, críticas e elogios

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Postado em 14/02/2017

A Câmara gasta muito com Limpeza e Portaria

Não passa um único dia sem que o Congresso, Judiciário ou Governo Federal não arranjem algum jeito peculiar de gastar muito, e MUITO, do dinheiro do contribuinte. 

A Câmara dos Deputados reservou R$ 6,4 milhões para a prestação de serviços continuados na área de limpeza e conservação e na área de portaria, zeladoria e garagem de blocos funcionais da Casa.

A imagem pode conter: área interna

Postado em 08/02/2017

Para que serve a burocracia?

Burocracia foi criada para dificultar. E depois vender a facilidade, claro.

A cada lei estúpida, a cada regra adicional, a cada exigência, aumenta a chance de quem trabalha cometer um erro. 

Enquanto o pequeno empreendedor está preocupado em criar um bom produto, achar um jeito bom para produzir, contratar e treinar a equipe, enquanto isso acontece o burocrata tenta achar a irregularidade. Ahhh e que delícia quando ele acha. Abrem-se as portas para o burocrata extorquir quem está trabalhando. 

É por isso que o Ranking dos Políticos apoia regras o mais simples possíveis, que todo mundo possa entender e cumprir.

A imagem pode conter: texto

 

Postado em 08/02/2017

Funcionários públicos faltam ao trabalho 16% do tempo!

Funcionários da iniciativa privada costumam faltar em média 2,5% dos dias de trabalho.

Já os funcionários públicos costumam faltar 6 vezes mais, ou seja 16,4% dos dias. Porque será?

A imagem pode conter: texto

Postado em 08/02/2017

Legalização das drogas

Caros amigos que não querem nem pensar na legalização das drogas. Gostaríamos de dizer que nós do Ranking dos Políticos temos muito respeito por essa sua opinião (a menos que você seja traficante ou policial corrupto). Drogas são terríveis e causam efeitos devastadores nos usuários. Entendemos, mesmo.

Gostaríamos de esclarecer também que não, não somos um bando de drogados querendo fumar umazinha em paz. Aliás, nós voluntários do Ranking somos caretas até demais, nunca tendo usado droga alguma.

Tudo que pedimos é que você abra a cabeça sobre o tema e se permita analisar alguns fatos e argumentos a favor de caminharmos rumo à legalização. Não precisa (nem deve) ser de uma vez e precisa ser acompanhado de forte campanha de conscientização das pessoas, para minimizar o consumo. No entanto, temos a convicção de que a legalização transforma um problema que é de tanto de saúde pública E TAMBÉM, pior ainda, de segurança pública em um problema que é apenas de saúde pública.

Nosso livro Carregando o Elefante possui um capítulo exclusivamente sobre isso, chamado "Se quiser comprar, compre". Convidamos a todos para baixarem gratuitamente e formarem suas próprias conclusões. www.politicos.org.br/livro

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Postado em 07/02/2017

Vem pra Rua

O Ranking dos Políticos está de pleno acordo com o movimento Vem pra Rua no repúdio ao Foro Privilegiado. Precisamos acabar com essa brecha para que certas categorias de políticos possam se esconder atrás do foro para escaparem da justiça.

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Postado em 07/02/2017

Indicação de Alexandre de Moraes para o STF

O Ranking avalia a indicação de Alexandre de Moraes para a vaga de Teori no STF

O atual ministro da justiça e ex-secretário de segurança do estado de São Paulo do governo Alckmin ainda terá que ser sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça e aprovado pela plenária do Senado, o que deve ocorrer sem dificuldades em duas semanas, após a nova formação da CCJ do Senado. Sua indicação contou com o apoio do Ministro do STF Marco Aurélio.

Filiado ao PSDB, ele será o único dos atuais 11 ministros da Corte Constitucional brasileira a ter uma filiação partidária no momento de sua nomeação. 

Moraes tem 49 anos e poderá ficar no Supremo até completar 75 anos, ou até 2042. É autor de diversos livros na área uma de suas obras está na 32ª edição. Seu protagonismo, no entanto, não chega pela produção literária jurídica ou pela sua atuação como bacharel em direito – apesar de ser citado em ao menos 244 jurisprudências do próprio STF. Moraes era um promotor de Justiça concursado em São Paulo e abandonou a carreira para se tornar Secretário de Justiça e Cidadania de São Paulo, em 2002, durante a gestão Geraldo Alckmin. Desde então, ocupou diversos cargos públicos, sempre por indicações de tucanos. Foi Secretário Municipal de Transportes de São Paulo na administração Gilberto Kassab, Secretário de Estado da Segurança Pública, novamente na gestão Alckmin.

Caso assuma a cadeira no STF assumirá automaticante a função de ministro revisor do relator (Edson Fachin) da Operação Lava Jato conforme manda o regímento interno do STF e terá de se declarar impedido de participar dos julgamentos de politícos filiados ao PSDB.

Arduo defensor de critérios mais rigídos para a escolha de ministros do STF e tribunais superiores, sua indicação não passará sem amargas críticas por parte da imprensa.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, terno

Postado em 07/02/2017

Congresso gasta mais com funcionários do que o estado de SC com saúde!

Em 2017 o congresso brasileiro e seus 28 mil funcionários (sendo mais de 80% deles comissionados e nomeados sem concurso), deve custar ao país R$ 10 bilhões. 

Se você não faz ideia de quanto custa isso, segue aqui alguns exemplos:

- Este valor é maior do que o orçamento de saúde e educação do estado de Santa Catarina, que atende 8 milhões de pessoas.

- É maior do que todo o orçamento de 6 estados brasileiros.

- É mais do que o Rio Grande do Sul gastará em educação e segurança no ano para 11 milhões de pessoas.

- É o suficiente para manter 4 milhões de crianças na escola no ensino fundamental.

- Poderia bancar 1 milhão de novas bolsas no FIES, ou aumentar em 400% o Prouni.

- Poderia manter 450 mil alunos em universidades federais

- Pagar 320 mil professores durante 1 ano.

- Bancar os gastos do SUS com 9 milhões de brasileiros no mesmo período.

Tudo isso por que na média, cada senador brasileiro emprega 140 pessoas para exercer a sua função de fiscalizar o governo e propor leis que melhorem a sua vida. 

Alguns deles, como Collor, tem 90 assessores e em 2016, não aprovaram sequer um único projeto, ainda assim, a Lamborghini do ex-presidente e atual senador esta de volta ao lar e passa bem. 

Da próxima vez que você sugerir que o governo deveria resolver isso ou aquilo, lembre-se de que esta turma aí é quem define o orçamento e suas prioridades

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Postado em 06/02/2017

Burocracia

Burocracia não tem ideologia. Ela não é de direita nem de esquerda. Ela é destrutiva, deixa tudo mais lento, mais chato e mais pobre. Impede a criação de riqueza e a geração de empregos. Cadê o "Vale do Silício" brasileiro? Perguntem para a burocracia.

A imagem pode conter: texto

Postado em 06/02/2017

Conheça os inimigos

Correntes e barreiras que os brasileiros precisam enfrentar para acompanhar os países desenvolvidos. Corrupção, incompetência, ineficiência, burocracia, impostos complexos.

Tomar consciência delas é um passo importante. 

Você pode ser de direita e querer governo menor. Você pode ser de esquerda e querer mais igualdade econômica. Mas todos podem concordar que esses obstáculos estão no caminho de qualquer projeto sério de país.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 06/02/2017

Corrupção, um jogo feito para ser sujo

Os políticos não são mais malvados que o resto das pessoas. Eles simplesmente jogam um jogo que foi feito para ser sujo. O jogo que foi criado no Brasil sempre foi ancorado por duas ideias:
1) Se não roubar, não tem dinheiro pra campanha e você estará fora
2) Se roubar, nada vai acontecer - impunidade
É por isso que tantos políticos, de tantos partidos, aparecem nos escândalos. Olhe-se no espelho e antes de achar que Brasília foi tomada por um bando de diabos pergunte-se com sinceridade se você não faria o mesmo: a chance de uma vida de riqueza e poder, sem risco, apenas jogando o jogo que todo mundo à sua volta está jogando. Seja franco.
Precisamos acabar com isso. Precisamos atuar para as duas frases acima deixarem de ser verdadeiras. Punir os culpados, apoiar a lava-jato, colocar na cadeia, pela primeira vez, todos os corruptos que conseguirmos capturar, é um primeiro passo.
Depois precisa mudar o jogo. Precisa de reforma política. Precisa baratear a campanha, de modo que um político não precise gastar uma fortuna para ser eleito. Precisa ter barreira pra acabar com um monte de partidecos de aluguel. Precisa acabar com os cargos nidicados, que são moeda de troca de negociatas. Precisa de voto distrital. Precisamos fechar entre nós, os cidadãos desse país, agenda positiva e bater, bater, bater até as mudanças serem feitas e o jogo ficar mais limpo.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 06/02/2017

Bom mesmo é trabalhar na Câmara!

Sempre que você se perguntar porque o dinheiro acaba antes de chegar à saúde, educação e segurança, veja a imagem abaixo. A casta de funcionários públicos que gravitam em torno do poder é um monstro com vida própria, regras próprias e estabilidade de emprego.

O Ranking dos Políticos não tem nada contra as profissões de motorista, copeiro ou operador de copiadora. São profissões dignas e essas pessoas merecem ser respeitadas.

O que temos contra é o sistema escandaloso que assalta o bolso dos trabalhadores desse país para pagar salários até dez vezes maiores que alguém da iniciativa privada.

A imagem pode conter: 3 pessoas, texto
Postado em 06/02/2017

Diga não

Ajude o Ranking a conscientizar nossa população. 

"Vender voto? Tou fora" 

Divulgue.

Muitos políticos tradicionais ainda se elegem usando o famoso voto de cabresto. Como funciona?

1) Roubam uma grana violenta
2) Usam pra fazer campanha cara e ficar distribuindo esmolas na época de eleição. É caminhão do leite, é entrega de frango, é gingle no bairro o tempo todo
3) Se elegem e usam o cargo pra roubar mais ainda

Ajude a dar um fim nisso. Desconfie das campanhas caras. Não deixe seus conhecidos venderem voto.
Nenhum texto alternativo automático disponível.
Postado em 06/02/2017

Burocracia em ação

Burocracia em ação, matando empresas, empregos e criatividade. Deixando todo mundo mais pobre.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Postado em 06/02/2017

A falta de prioridades sempre assusta

Só lembrando que em países mais ricos que o Brasil, como EUA e Inglaterra, o chefe do governo mora e trabalha no mesmo lugar, ao contrário do Brasil que tem dois palácios.

A imagem pode conter: meme e texto

Postado em 31/01/2017

Todos unidos rumo ao abismo

Eis o resultado da maravilhosa "revolução bolivariana do socialismo do século XXI"

- PIB desabando
- Desemprego em nível recorde
- Hiperinflação
- Falta de comida e remédios causando fome e saques
- Mortalidade infantil disparando
- A capital com a maior taxa de homicídios do mundo

Nem país em guerra passa por tanto sofrimento quanto a Venezuela, rica em petróleo, mas amaldiçoada por esse governo, queridinho de tanta gente no Brasil.

A imagem pode conter: texto

Postado em 31/01/2017

Mudar começa em nós mesmos

"O inferno são os outros" Sartre

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Postado em 31/01/2017

Temos que mudar!

Querer a volta da ditadura é apenas mais uma forma de desejar que uma solução mágica resolva os problemas que nós mesmos criamos. 

É a crença no "salvador da pátria", feita do mesmo caldo que disseminou o populismo pela América do Sul. Não tem atalho, pessoal. Não vai aparecer um general sábio e bonzinho pra limpar a sujeira e garantir que venha coisa melhor depois. 

Só tem um caminho, que é nós todos arregaçarmos as mangas e mudarmos, neurônio por neurônio, a mentalidade dos nossos cidadãos e, através disso, mudarmos a política brasileira.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 31/01/2017

10 anos de PAC

Hoje o PAC faz 10 anos e o Ranking traz uma retrospectiva dos resultados, e dos prejuízos do gigantesco pacote de construções que ficou enrolado na Lava-Jato. 

Com desvios que viraram propinas de até 1 bilhão dos projetos do PAC Saneamento. Até as obras faraônicas, como a refinaria de petróleo Prime 1 do Maranhão e a transposição do rio São Francisco que, muito longe de acabarem, sozinhas já deram prejuízos na casa das dezenas de bilhões.

Nossa estimativa de 30 Bi em prejuízos considera apenas algumas das príncipais obras do que foi e continua sendo o maior desastre na área de infra-estrutura do país. #PAC10 anos.

A imagem pode conter: texto e atividades ao ar livre

Postado em 31/01/2017

Festa com seu dinheiro e você não foi convidado.

Hoje é aniversário de 10 anos do PAC e o Ranking resolveu fazer uma retrospectiva dos resultado.

Foi uma festa. Com o seu dinheiro. E você não foi convidado.

A maior parte das obras mal saíram do papel. Em 8 anos, só 37% dos empreendimentos foram concluídos. Das 10 maiores obras anunciadas pelo programa, apenas duas chegaram à conclusão. Uma delas, a refinaria Premium 1, no Maranhão, foi completamente abandonada. O prejuízo? 2 bilhões de reais.

Um dos empreendedores mais famosos do PAC, Eike Batista, virou alvo de mandato de prisão da Lava-Jato e esta foragido da polícia federal. 

Se o contrato é grande e com o governo, quase sempre acaba em corrupção. #PAC10 anos.

A imagem pode conter: texto e atividades ao ar livre

Postado em 31/01/2017

As obras que não acabam nunca

Sabe aquela obra que não acaba nunca, já resultou num monte de corrupção cansando um prejuízo estimado na casa dos 16 Bilhões. Então aquela do Rio São Francisco. Hoje é aniversário de 10 anos PAC e o Ranking resolvou fazer uma retrospectiva dos prejuízos causados por essa catástrofe de investimentos de dinheiro público.#PAC10 anos.

A imagem pode conter: texto e atividades ao ar livre

Postado em 31/01/2017

Quanto prejuízo ainda vamos ter?

A Refinaria de Abreu e Lima em Pernambuco é uma catástrofe energética nacional. Hoje aniversário de 10 anos do PAC, o presente está estimado em 2,4 bilhões de dólares, irá ultrapassar os U$ 20 bilhões para ser construída, sabe-se lá quando.

A imagem pode conter: texto

Postado em 31/01/2017

Privatização

Ingênuos? Ignorantes? Ou mal intencionados mesmo?

Após caminhões de evidências de toda parte, após provas e estudos do mundo todo, uma parcela das pessoas simplesmente não quer saber de nada e ainda não entendeu que:

- Empresas privadas são quase sempre mais eficientes e honestas do que empresas públicas. Sim, tem exceções. São poucas e justamente reforçam a regra
- Estatal não é e nunca foi "do povo". Quem ganha com estatais são os políticos corruptos, que são nomeados para dirigí-las e mamar nas tetas de cargos e propinas
- Sim, tem empresas que corrompem (tipo Odebrecht), mas notem que quase sempre do outro lado tem uma estatal (tipo Petrobrás) sendo corrompida. Por que será, né?
- Se alguém roubar uma empresa privada quem perde é o dono. Se roubarem uma estatal quem paga a conta é você, cidadão comum pagador de impostos
- Se a empresa privada for ruim ela quebra e sai do mercado. Se a Estatal for ruim ela dá prejuízo e você paga a conta
- As empresas privadas mais reclamadas do Brasil são justamente nos setores onde o governo se mete mais (por exemplo telefonia). Setores mais livres tem as empresas mais admiradas (por exemplo Nestle, Apple, etc)
- Funcionário preguiçoso e incompetente em empresa privada vai para a rua. Na estatal ele passa o resto da vida lá e você tem que aturar

Empresas do governo: boas só pros corruptos

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 19/01/2017

Comparecer ao trabalho é um dos requisitos mais básicos de um bom parlamentar

27 deputados federais merecem reconhecimento por não terem faltado nenhuma vez às sessões em 2016. Eles pertencem aos mais diversos partidos políticos e suas ideias em alguns casos batem de frente com o que o Ranking dos Políticos defende. No entanto, comparecer ao trabalho é um dos requisitos mais básicos de um bom parlamentar. Por isso cumprimentamos todos os 27 e que sejam exemplo para os demais. 

Por outro lado, a lista abaixo mostra alguns deputados que mal apareceram em metade das sessões.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

 

Postado em 19/01/2017

Reforma da previdência é absolutamente necessária

Gostemos ou não, temos que entender que a reforma da previdência é absolutamente necessária. Se não for aprovada rapidamente e para TODOS os trabalhadores, sejam do setor público ou privado, o sistema previdenciário entrará em colapso num futuro próximo e os aposentados não receberão suas pensões. 

A conta é simples, com o envelhecimento da população a previdência gasta cada vez mais com aposentadorias, portanto a sociedade terá que trabalhar mais tempo para pagar essa conta, não tem outro jeito, não tem milagre. 

Aí o povo fala, "mas se não tivesse tanta corrupção e privilégios haveria dinheiro de sobra para pagar aposentados", certo? Errado, esse dinheiro mencionado aí deveria estar sendo aplicado em serviços fundamentais para a população como educação, saúde, seguranca, etc. A previdência deve ser um sistema auto sustentável. Ou seja, trabalhamos e contribuímos para o INSS a vida toda para poder receber nossa aposentadoria lá na frente. 

Chato ter que trabalhar uns anos a mais? Verdade. Mas melhor trabalhar mais hoje com a certeza de que receberemos o que nos é de direito amanhã do que manter como está e futuramente receber a notícia de que não haverá dinheiro para se aposentar.

Quem estiver se recusando a aceitar esta realidade está com preguiça de entendê-la. Vamos botar o tico e o teco pra funcionar pessoal.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Postado em 19/01/2017

Normas tributárias

Quem se lembra daquele sujeito que compilou todas as normas tributárias até 2013 num livro de 7 toneladas? 
As empresas por aqui precisam seguir, em média, 3.512 normas tributárias para estar em dia com a legislação brasileira. E o custo dessa burocracia toda para as empresas Brasileiras é de algo em torno de R$ 45 bilhões por ano, com equipe de funcionários, tecnologias, sistemas e equipamentos, a fim de acompanhar as modificações, evitar multas e prejuízos. Pouco mais de 1% do PIB do país se gasta em burocracia. E o nome do Autor do livro: Vinícios Leôncio.
A imagem pode conter: 1 pessoa
Postado em 19/01/2017

Achou muito?

A vice na prática não existe (pois não há vice-presidente no momento), mas está vivíssima no Orçamento, pois a burocracia é um bicho incontrolável. Publicado hoje no "Diário Oficial":

Em janeiro, a vice terá à sua disposição R$ 389 mil. Achou muito?

Pois em fevereiro, esse orçamento quase dobra. Vai para R$ 654 mil. Está de bom tamanho? Em março, os gastos são da ordem de R$ 919 mil.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre e texto

Postado em 19/01/2017

Burocracia, taxas, inflação e impostos tornam a economia de um país inviável

Na Venezuela, iPhone custa quase US$ 100 mil; ou 315 mil Reais!

Burocracia, taxas, inflação e impostos tornam a economia de um país inviável. Exemplo da venezuala onde um simples celular pode custar uma fortuna, o levantamento da empresa de comércio eletrônico Linio levanta o preço do aparelho em 72 países, o Brasil, apesar de não ter o iPhone mais caro, é um dos países em que o aparelho tem o custo mais pesado. Segundo o levantamento Technology Price Index, um smartphone da Apple modelo 6s, que aqui sairia por 843 dólares (2.721,24 reais), custa incríveis 97.813,82 dólares (315.635,36 reais) na Venezuela. A enorme distorção no caso da Venezuela é a hiperinflação enfrentada pelo país e as disparidades cambiais – existem três taxas de câmbio diferentes por lá -, o que prejudica este tipo de comparação por alterar as referências de preço, tornando a comercialização do produto inviável. Há também uma enorme escassez de produtos no país latino-americano, que atinge inclusive insumos básicos e alimentos.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Postado em 19/01/2017

Porquinho em perigo

Governo é tão grande que parece que não é com a gente né?

Que vontade que dá dizer "o Estado tinha que dar isso", "o Estado tinha que ajudar aqui", "e alí", como se o dinheiro fosse cair do céu.

O "Estado" somos nós mesmos. Só existe uma fonte: o trabalho duro de nós, cidadãos comuns pagadores de impostos. Se vão gastar algo (e geralmente com bastante roubo ou desperdício no meio) esse algo vai sair do nosso bolso, de um jeito ou de outro.

Nosso trabalho é proteger o "porquinho" das centenas de bocas famintas por uma tetinha. E não estamos falando aqui de pessoas que estão realmente na miséria. Esses sim precisam de ajuda para se levantar e na verdade se somarmos o que o Brasil gasta com os mais pobres não dá nem um décimo dos privilégios dos mamadores.

A imagem pode conter: texto

Postado em 18/01/2017

Proibir as drogas só deixa o problema maior

Porque um bando de caretas do Ranking Políticos, que nunca usaram drogas na vida, acham que já passou da hora de discutir seriamente a legalização?

Drogas são horriveis e causam problemas sociais, econômicos e de saúde. Mas proibir as drogas só deixa o problema maior. É pegar um problema de saúde pública, multiplicar por dez e transformar em um problema de segurança pública. É fazer surgir um dos negócios mais lucrativos do mundo nas mãos de gangues de bandidos, com dinheiro para comprarem armas, a polícia, o judiciário e os políticos.

Centenas de milhares de pessoas trancadas nas cadeias, tudo às custas dos pagadores de impostos. Privadas de sua liberdade, em celas desumanas, sofrendo e aprendendo novos tipos de crime, tudo por tentar comprar ou vender drogas.

Leia o capítulo sobre drogas no livro Carregando o Elefante e conheça mais fatos sobre isso

A imagem pode conter: 1 pessoa

Postado em 18/01/2017

Seria bem mais barato!

12% mais barata

Assim seria o preço da casa própria caso o país não tivesse tanta burocracia, segundo um estudo de 2014 da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic). Já a obra seria entregue num prazo 40% menor pelas construtoras se não fosse necessário tanta papelada.

Cidadãos, empresas e entidades do terceiro setor perdem tempo e dinheiro preenchendo formulários, verificando como proceder e eventualmente sendo multados ou punidos por descumprir uma norma que interpretaram de forma equivocada ou nem sabiam existir. Existe um princípio legal de que ninguém pode alegar desconhecimento de uma lei para descumpri-la. Mas é humanamente impossível seguir esse preceito. “O Brasil tem 5 milhões de leis, normas e procedimentos”, diz Hadade. “São editadas 764 normas por dia útil no país nos três níveis de poder [União, estados e municípios]. Se fossem impressas em papel A4 e colocadas numa fileira, seriam 6 quilômetros de normas. Todos os dias.”
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
 
Postado em 18/01/2017

O peso dos impostos

Se o governo brasileiro realmente estivesse interessado em investir em educação, seu foco seria tirar seu próprio peso, isto é, os impostos que impõe sobre o material escolar, que em todo começo de ano compromete uma boa fatia do orçamento doméstico das famílias.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Postado em 18/01/2017

Governo bom deveria se preocupar com o essencial

Governo bom deveria se preocupar com o essencial (saúde, educação, segurança) e vender o resto. Quando se vende uma Estatal ou se elimina um ministério é como se drenasse mais um pouco o pântano da corrupção. Quando o governo deixa de fazer alguma atividade não essencial, é uma oportunidade a menos de se corromper e de ser corrompido.
"Ahhh, mas os caras vendem a empresa a preço de banana". Resposta: é muito mais fácil controlar uma venda única, uma única vez, do que ficar sangrando anos e anos com a mesma estatal
"Ahh, mas na empresa privada não pode ter roubo também?". Resposta: claro que pode, mas é muito mais difícil e quem paga por isso são os acionistas da empresa e não você, cidadão pagador de impostos
Vender estatal é bom pra todo mundo, menos para os corruptos
A imagem pode conter: texto
 
Postado em 18/01/2017

Parabéns professores!

Com o recente aumento salarial anunciado pelo governo, agora os professores ganham por mês valor semelhante ao vale-combustivel a que cada senador tem direito.

(Por lei, o senador recebe diariamente 25 litros de gasolina, entre outros benefícios como vale correio, vale passagem, até 52 assessores, 14o e 15o salário, recentemente convertidos em gratificação)

A imagem pode conter: 3 pessoas, texto

Postado em 18/01/2017

Tributação

Obrigado Emerson Anselmo pelo envio da frase! 
(estamos publicando as frases que tiveram bastante likes e pertinentes ao tema dos impostos nessa imagem)

A imagem pode conter: texto

Postado em 18/01/2017

O Brasil seria muito melhor se as pessoas aprendessem a detectar o populismo.

Comer hamburguer pode parecer mais interessante que salada. Mas a gente já sabe que se quisermos viver uma vida sadia, às vezes é melhor escolher um caminho que exige mais disciplina.


O eleitor brasileiro precisa enteder e valorizar alguns aspectos que sempre foram deixados de lado, como responsabilidade com o dinheiro público, contas equilibradas, boa gestão e governo enxuto. Ao invés disso, ainda tem muita gente que vota na base dos sorrisos e dos pequenos presentinhos e esmolas que os políticos jogam para o povo, como se o dinheiro fosse deles para distribuir. Não é. O dinheiro do governo é nosso.

A imagem pode conter: texto e comida

Postado em 18/01/2017

Populistas

Quem elege populistas somos nós. Quem os mantém no poder somos nós. Quem sofre depois somos nós.

Vamos nos educar para enterrar de vez os atalhos e as ideias mirabolantes de um governo papai noel que deveria dar de tudo. Vamos acabar com a irresponsabilidade fiscal, porque a conta sempre chega depois e ela é salgada. Vamos desconfiar dos "salvadores da pátria" bonzinhos, que prometem um monte de coisas gostosas com o dinheiro que não é deles

Governo precisa ser responsável, comedido, enxuto, eficiente e limpo. Populismo nunca mais.

A imagem pode conter: texto

Postado em 18/01/2017

Não vote nos ruins!

É possível tirar os ruins. É simples: não votar neles. O Ranking fará sua parte, guardando as informações e mostrando a todos eleitores, usando somente dados públicos e abertos, quem é quem. 

Precisamos que você também faça sua parte, divulgando seu trabalho e convencendo seus amigos e colegas a pesquisarem bem antes de votar.

A imagem pode conter: texto

 

Postado em 18/01/2017

Governos não conseguem "dar" nada

Tem ideias que podem soar bem à primeira vista, mas que no final do caminho só atrasam nossa vida. Bom governo não "dá" um monte de coisas. Governos não conseguem "dar" nada, somente tomar, desperdiçar e te devolver menos do que ele já tomaram de você mesmo. 

Bom governo se concentra nas coisas essenciais (saúde, educação, segurança) e deixa as pessoas o mais livres possível para conquistarem seus sonhos com as próprias mãos e com a própria capacidade. 

Você não precisa de babá. Ninguém consegue cuidar melhor do seu dinheiro e do seu futuro do que você mesmo.

A imagem pode conter: texto
Postado em 18/01/2017

Pelo fim do engessamento trabalhista

As leis trabalhistas são frequentemente vendidas como sendo em prol das classes trabalhadoras. Isso não é verdade. Quanto mais rígidas forem as regras, maior o nível de desemprego e o salário não necessariamente sobe. Alguns dos países com as regras mais flexíveis do mundo tem também os menores índices de desemprego e as rendas mais altas. 

A média de desemprego em algumas grandes economias com regras simples, como EUA, Inglaterra, Alemanha, Coreia do Sul, é de apenas 5% de desemprego, enquanto o Brasil passa dos 12%. 

As leis brasileiras têm mais de 70 anos de idade, estão antiguadas e destroem a competitividade do país. Deixam todos mais pobres. 

Já passou da hora de fazermos uma reforma trabalhista séria e inteligente. Uma reforma que trate patrões e empregados como adultos, capazes de tomar suas próprias decisões e fazer suas próprias escolhas.

Se quiser saber mais sobre as diversas formas como a CLT atualmente atrapalha o país, dê uma olhada no capítulo sobre leis trabalhistas do livro Carregando o Elefante, que pode ser baixado gratuitamente no link abaixo

http://www.politicos.org.br/livro

A imagem pode conter: texto

Postado em 18/01/2017

E se o Brasil fosse um jogo de futebol?

Essa imagem ilustra bem a ideia do que o Estado deve fazer e o que ele não deve fazer. Se o Brasil fosse um jogo de futebol, diríamos que o governo precisa fazer o trabalho de juiz mas não fazer o trabalho de jogador. 

Bom governo é como um bom juiz: regulamenta a economia, acompanha, faz cumprir as regras e aplica punições. Idealmente ele quase não aparece e deixa o jogo rolar. Quem tem que fazer e acontecer e aparecer são os jogadores: os cidadãos, as empresas. Esses são os verdadeiros atores que movem a economia. 

Frequentemente se o juiz resolve se meter a jogar o jogo podem ocorrer muitos problemas. Ele provavelmente vai jogar mal, vai distorcer a economia e espantar jogadores sérios. Vai ser ineficiente e caro.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas praticando esportes, texto e atividades ao ar livre

Postado em 18/01/2017

Como muitos veem o governo

O atraso está dentro da nossa cabeça. Uma enorme parte da população entende o governo como uma fonte inesgotável de benefícios. Tem gente que vota no político porque ele deu uma cesta básica para a tia, como se a cesta fosse dele para dar. Tem gente que só espera mais e mais gastos. Muita gente não entende que esse dinheiro não cai do céu. Ele vem de nós mesmos. Nós bancamos o governo. Tudo que é dado, já foi tomado antes e em dobro. Governo bom cuida do dinheiro com tanto cuidado quanto uma dona de casa responsável. A conta da irresponsabilidade sempre chega.

A imagem pode conter: texto

Postado em 18/01/2017

Sindicalistas

Sindicalistas costumam ignorar os fatos e derramar lágrimas de crocodilo pelos trabalhadores, pressionando por uma agenda de leis rígidas e combate a qualquer tentativa de automatização. Eles fazem isso tanto para preservar seus próprios privilégios quanto por uma mentalidade atrasada mesmo.

No entanto, as evidências internacionais mostram claramente que países mais livres e produtivos tem não apenas índices mais baixos de desemprego como também salários e empregos melhores. O quadro abaixo compara os dados do Brasil com a média dos 5 grandes países ricos com as leis mais flexíveis (EUA, Japão, Inglaterra, Alemanha, Coreia). Lá, apesar das regras não preverem tanta "proteção" quanto existe no Brasil e apesar de haver 28 vezes mais robôs, o índice de desemprego é menos da metade.

Caminho para o desenvolvimento: boa educação, alta produtividade, muita automação, regras simples e flexíveis, liberdade para negociação de condições de trabalho
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
Postado em 18/01/2017

A verdadeira luta de classes

O conceito de luta de classes entre ricos e pobres é uma fantasia. O mundo é complexo demais para ser dividido simplesmente entre "os ricos" e "os pobres". O dono da padaria, perto de sua empregada doméstica, é "o rico". Perto de um banqueiro ele é "o pobre".

A verdadeira luta de classes ocorre entre produtores e saqueadores. Produtor é quem trabalha e cria riqueza, independente da classe social. Pode ser um empreendedor visionário, que inventou um novo produto e constrói um império. Pode ser um médico que salva vidas ou um engenheiro que projeta pontes. Pode ser um encanador que conserta privadas, uma vendedora de shopping ou um faxineiro.

Saqueador é quem se aproveita das brechas do Estado para tirar vantagens, independente da classe social. Pode ser o empreiteiro bilionário que paga propina pra ganhar obras. Pode ser o empresário que vive às custas do BNDES ou o funcionário público aposentado que recebe muito mais do que contribuiu. Pode ser a filha de militar que recebe pensão até o resto da vida ou o jovem saudável que finge doença pra fraudar o INSS. Pode ser o pobre que mente e compra pinga com o dinheiro do bolsa família.

Postado em 07/12/2016

Esforcinho extra!

Nenhuma esperança de futuro se não forçarmos o governo a ficar mais enxuto e eficiente, focado em fazer muito bem feito as coisas essenciais e deixando de se meter em tantos assuntos

Quem quiser saber um pouco mais sobre as diversas formas em que o governo está te atrapalhando convidamos a baixar gratuitamente nosso livro em http://www.politicos.org.br/livro

Postado em 07/12/2016

Nunca esquecer os maus políticos

Conte com a gente, pessoal! O Ranking vai fazer tudo que estiver a nosso alcance para ajudar os eleitores brasileiros a nunca mais esquecer dos maus políticos. Ajude a divulgar nosso trabalho.

Postado em 07/12/2016

Reforma previdenciária

É fácil ser contra a reforma previdenciária. Afinal, com tanta roubalheira e privilégios que a gente vê, se está faltando grana pro governo porque não cortar primeiro a gordura antes de mexer na aposentadoria do trabalhador?

No entanto, a realidade é que o Brasil precisa fazer as duas coisas: precisa reduzir gastos, cortar desperdício e privilégios. E também precisa reformar a previdência. A regra atual prevê que os aposentados de hoje sejam financiados pelos trabalhadores de amanhã. Mas qualquer conta de padeiro mostra que a previdência ruma ao abismo. Já gastamos atualmente 12% do PIB com aposentadorias, mais que o dobro do gasto com educação e muito mais do que países ricos e com mais idosos que nós.
Isso só vai piorar e a bomba será deixada para nossos filhos e netos pagarem.

Esse não é um problema brasileiro. Todos os países ricos do mundo também estão enfrentando buracos financeiros e fazendo reformas.

Leia o livro Carregando o Elefante e o capítulo que trata da previdência social www.politicos.org.br/livroe conheça os dados, bem como alguns casos de sucesso implantados pelo mundo

Postado em 07/12/2016

Chega de guerra civil

E aí? Tem chance de suspender o xingamento e discutir futuro?

Precisamos parar com os rótulos. Precisamos parar com a desqualificação do outro. Parar com a agressão gratuita que costuma ser tão ventilada nas redes sociais.

É hora de debatermos ideias e não pessoas. Apoiar uma pauta que leve o Brasil para frente

Postado em 07/12/2016

Carga tributária

Carga tributária brasileira é a maior dos BRICS e da América Latina!

Segundo análise do comentarista de Economia Carlos Alberto Sardenbeg, exibida ontem no Jornal da Globo, o Brasil é o país com a maior cobrança de impostos entre os BRICS e os países da América Latina. Estando também mal situado nos índices de crescimento do PIB e inflação


Postado em 07/12/2016

Você sabe o que é o GRIS?

No Brasil, ao contrário do que ocorre nos países desenvolvidos, as transportadoras cobram uma taxa adicional chamada GRIS. Significa "gerenciamento de risco", mas na verdade essa taxa representa qual percentual das cargas a transportadora já sabe que será roubada por assaltantes. Na média, ela gira entre 0,40% e 1% do valor de tudo que se transporta no Brasil. Quanto mais inseguro for o destino da carga, mais se cobra. 

Ou seja, se uma empresa vende matéria prima para outra, que vende peças para outra, que monta o produto, que vende ao distribuidor, que vende ao varejista, a cada etapa o produto vai encarecendo. No final, até 5% do preço dos produtos brasileiros pode ter aumentado devido às previsões de furtos e assaltos.

Isso não é um imposto, mas faz parte do custo Brasil. As transportadoras não são burras e sabem que não conseguem arcar com a enorme quantidade de roubos de carga que tem no país. Quem paga a conta no final, como sempre, é você: cidadão

Postado em 07/12/2016

FGTS

FGTS: mais uma forma de se roubar o cidadão comum, te obrigando a entrar em uma poupança forçada, que rende abaixo da inflação. 

O Ranking dos Políticos defende incorporar os 8% do FGTS aos salários e abolir esse assalto institucionalizado do Governo

Postado em 07/12/2016

A verdadeira divisão de classes

A luta não é entre rico e pobre. Não é entre branco e negro. Não é entre jovem e idoso.

A verdadeira luta é entre PRODUTORES e SAQUEADORES.

Produtor é o cidadão comum, que trabalha e paga impostos. Pode ser de qualquer cor, credo ou classe social. Todos os produtores são estuprados diariamente pelos saqueadores, uma minoria organizada que se encastelou no poder, que tem as rédeas do governo brasileiro e usa esse poder para roubar da maioria. São três as ferramentas para tornar infernal a vida de todos nós: 1) Corrupção 2) Burocracia 3) Privilégios

Ou acabamos com os saqueadores ou eles acabam com a gente. O trabalho do Ranking dos Políticos é identificar os saqueadores e demiti-los da vida política. Só conseguimos fazer isso com o seu apoio.

Postado em 07/12/2016

Assistencialismo

Assistencialismo soa muito bonito em teoria e deve sim ser usado para ajudar as pessoas em situação de extrema dificuldade e por tempo limitado.

O problema é que os programas quase nunca param por aí. Gasta-se mais e mais, o alcance vai ficando cada vez maior, praticamente ninguém sai do programa e vão se criando currais eleitorais em que tem cada vez mais gente na carroça do lado que recebe e cada vez menos gente do lado que puxa para frente

Postado em 07/12/2016

As "bondades" vem do seu bolso!

Cuidado com o canto da sereia. Todas as "bondades" que o governo dá, ele já tirou de algum lugar. E é sempre o mesmo lugar: o seu bolso. E geralmente cada real que o governo dá em benefícios é porque ele já tirou dois de você, sendo que um foi embora pelo ralo da corrupção e incompetência.

Político prometendo mais e mais gastos? Desconfie. Escreva, proteste. Invista dez minutos por semana do seu tempo para fazer isso. Será uma fração do que o governo te rouba todo dia.

Político votando contra os aumentos? Isso existe? Sim, são poucos, mas apoie, mostre que a população também está de olho nisso. 

E conte com o Ranking dos Políticos para estar sempre do lado do cidadão comum, o pagador de impostos, de todas as classes sociais.

Postado em 07/12/2016

Quem paga é sempre você

Corrupção é o grande ralo que faz o dinheiro do imposto sumir antes de chegar onde precisa. E quanto mais atividades o governo tentar fazer ao mesmo tempo, quanto mais abrir o leque, quanto mais se propor a fazer tudo para todo mundo, maior o tamanho do ralo. Quem paga por isso? Sempre você, cidadão pagador de impostos. 

Postado em 07/12/2016

O Brasil vai ficando para trás...

Nas olimpíadas dos negócios, toda empresa do Brasil precisa correr carregando a armadura da burocracia, corrupção e impostos altos

Postado em 07/12/2016

Quem sustenta quem?

Os números falam por si mesmos. Ao total, o governo gasta mais ou menos a mesma coisa pagando pensões a aposentados da iniciativa privada e aposentados do funcionalismo. 

Só que tem 25 vezes mais gente em um sistema do que no outro! 

Vejam o gráfico, já comparando com o valor por família do Bolsa Família. Em média o aposentado que trabalhou a vida inteira na iniciativa privada ganha R$ 2300 por ano. Já o servidor público aposentado ganha em média R$ 66.000

Fonte: Ipea 

(obs cálculo baseado na divisão do orçamento respectivamente de 50 e 60 bi pela quantidade de beneficiários respectivamente de 1 e 24 milhões de aposentados)

Postado em 07/12/2016

Que tal para frente?

E aí? Tem chance de suspender o xingamento e discutir futuro?

Precisamos parar com os rótulos. Precisamos parar com a desqualificação do outro. Parar com a agressão gratuita que costuma ser tão ventilada nas redes sociais.

É hora de debatermos ideias e não pessoas. Apoiar uma pauta que leve o Brasil para frente.

 

Postado em 07/12/2016

Não somos neutros!

Nosso lado é o do cidadão comum pagador de impostos, de todas as classes sociais. É a pessoa que acorda todo dia cedinho para trabalhar, que busca conquistar seus sonhos usando seu próprio esforço e suas próprias mãos. Que é explorada por um governo que tudo toma e nada devolve.

Somos contra o outro lado. O outro lado é o dos mamadores de teta organizados. São grupos específicos de pessoas que mobilizaram-se para tomar o governo de assalto, extrair mordomias e benefícios muito acima do que contribuem. Através da roubalheira, desperdício e incompetência, os mamadores de tetas tornam a vida um inferno para os demais brasileiros.

Postado em 07/12/2016

Ganhador do troféu melhor parlamentar

Com enorme prazer o Ranking anuncia o grande ganhador do troféu melhor parlamentar 2016. Tendo atingido a maior pontuacão do país entre centenas de deputados e senadores, o vencedor foi o Antonio Reguffe http://www.politicos.org.br/jose-antonio-machado-reguffe, senador pelo Distrito Federal. A imagem mostra os voluntários e conselheiros do Ranking Políticos entregando os dois troféus: melhor congressista do Distrito Federal e melhor congressista nacional

Existe gente séria e boa na política. Eles são poucos, mas existem sim. Estão cercados pelos maus políticos e por uma população que olha automaticamente com desconfiança. Eles precisam de ajuda
Nossa única esperança é reconhecer e apoiar os bons, para que eles se multipliquem

O Senador Reguffe é um exemplo de boas práticas. Ele abriu mão do carro oficial, do plano de saúde especial e de muitas regalias que vem com o cargo de senador. Ele gasta apenas uma pequena fração das verbas de gabinete e, comparado com os demais senadores, já economizou ao longo do mandato mais de 14 milhões de reais. Para vocês terem uma ideia, só o que o Senador Reguffe deixou de gastar (e que ele teria pela lei direito) é dinheiro suficiente para manter duas mil crianças na escola durante um ano!

Além disso, ele é autor de importantes projetos de lei, como por exemplo a proposta do voto distrital, a proibição do parlamentar concorrer indefinidamente ao mesmo cargo e a proibição de abandono de função. Ele tem votado de maneira coerente com os valores e interesses dos cidadãos

Nesse país de manchetes desastrosas e ataques de todo tipo como é fácil criticar! Mas não basta criticar se não tiver ninguém para colocar no lugar. E só teremos gente boa se soubermos separar o joio do trigo. Se soubermos valorizar as pessoas sérias que sim existem no país.

Postado em 07/12/2016

Eles precisam do seu apoio

Com grande prazer o Ranking anuncia os ganhadores do troféu melhor parlamentar 2016

A política tem bandidos? Verdade! 
A política tem incompetentes? Verdade!
São todos eles? Mentira!

Existe gente séria e boa na política. Eles são poucos, mas existem sim. Estão cercados pelos maus políticos e por uma população que olha automaticamente com desconfiança. Eles precisam de ajuda
Nossa única esperança é reconhecer e apoiar os bons, para que eles se multipliquem.

Na tarde de ontem na plenária do Congresso, a equipe do Ranking teve a alegria e a honra de entregar os troféus de melhor parlamentar por estado aos deputados e senadores que se destacaram pelas boas práticas públicas. Eles faltam pouco, eles economizam a verba de gabinete, eles estão com a ficha limpa e votam leis boas. Eles tiveram as maiores pontuações no Ranking, em critérios cem porcento objetivos e públicos.

A foto mostra os conselheiros do Ranking Iago, Alexandre e Flavia Virgínia entregando o troféu do Rio Grande do Sul para a senadora Ana Amélia http://www.politicos.org.br/ana-amelia-de-lemos e o de Santa Catarina ao Senador Esperidião Amin http://www.politicos.org.br/esperidiao-amin-helou-filho

Eles precisam do seu apoio. Criticar os corruptos é importantíssimo. Mas tão importante quanto isso é fortalecer quem a gente quer colocar no lugar dos maus políticos

 

Postado em 07/12/2016

Quem ignora os bons, está ajudando os maus

Com grande prazer o Ranking anuncia os ganhadores do troféu melhor parlamentar 2016

A política tem bandidos? Verdade! 
A política tem incompetentes? Verdade!
São todos eles? Mentira! 

Existe gente séria e boa na política. Eles são poucos, mas existem sim. Estão cercados pelos maus políticos e por uma população que olha automaticamente com desconfiança. Eles precisam de ajuda

Nossa única esperança é reconhecer e apoiar os bons, para que eles se multipliquem.

Na tarde de ontem na plenária do Congresso, a equipe do Ranking teve a alegria e a honra de entregar os troféus de melhor parlamentar por estado aos deputados e senadores que se destacaram pelas boas práticas públicas. Eles faltam pouco, eles economizam a verba de gabinete, eles estão com a ficha limpa e votam leis boas. Eles tiveram as maiores pontuações no Ranking, em critérios cem porcento objetivos e públicos.

A foto mostra os conselheiros do Ranking Flavia Virgínia, Alexandre e Iago entregando o troféu de Minas Gerais ao deputado Eros Biondini http://www.politicos.org.br/eros-ferreira-biondini

Eles precisam do seu apoio. Criticar os corruptos é importantíssimo. Mas tão importante quanto isso é fortalecer quem a gente quer colocar no lugar dos maus políticos

 

Postado em 07/12/2016

As "bondades" do governo não caem do céu

Populismo é uma doença que faz as pessoas acreditarem que as "bondades" do governo caem do céu. Na verdade, elas precisam ser pagas e são sempre pagas do mesmo lugar: seu bolso.

É a crença de que os investimentos públicos são um "presente" do governante. 

A única cura é a informação, a educação, a conscientização.

Postado em 07/12/2016

Você se trataria com esse médico?

É impressionante a quantidade de gente no Brasil que ainda cai no conto dos populistas. Populismo significa o político prometer soluções fáceis e gostosas para deixar as pessoas mais felizes a curto prazo, porém com um alto preço mais à frente.

Significa falar em mais e mais gastos, mais e mais "bondades" que o governo vai fazer por você, sem te lembrar sobre quem paga essa conta depois: você mesmo, sempre, e em dobro.

Significa descuidar das contas publicas, gastando mais do que se arrecada, sem te falar que a consequência é sempre a mesma. É aquilo que você já sabe que acontece se você gastar mês após mês mais do que seu salário: dívida, ficar escravo dos juros e a bomba explodir lá na frente.

Não tem solução fácil. Trabalho duro, disciplina, combate aos privilégios. Único caminho para o país ficar mais próspero e justo. Diga não aos populistas.
 
Postado em 22/11/2016

Medo da inovação tecnológica

"O avanço tecnológico gera destruição dos postos de trabalho, redução no emprego e miséria na massa da população"

Parece moderna a frase, certo? Parece uma preocupação que surgiu recentemente. Na verdade, essas palavras foram ditas no parlamento inglês pela rainha Elisabete I, a respeito de uma nova invenção da época, a "costuradeira mecânica", no ano de 1584. 

Isso mesmo, como podemos ver nesse e em muitos outros exemplos, o medo da inovação tecnológica sempre esteve presente, em todas as épocas. Foi assim quando criaram a locomotiva, a lâmpada, a colheitadeira, o computador. Mas sempre a humanidade conseguiu criar novos tipos de trabalho, mais sofisticados, e aumentar a produtividade e o padrão de vida. 

Não é por acaso que algumas das sociedades mais avançadas tecnologicamente, como EUA, Finlândia, Japão, Austrália, tem também os menores níveis de desemprego.

A "costuradeira mecânica" inglesa botou medo em muita gente. Mas ela também conseguiu tirar os ingleses de uma época em que comprar um par de meias era atividade de luxo.

Postado em 22/11/2016

Odeio política!

A população não aguenta mais os políticos. Temos ódio da classe política e os cidadãos estão de saco cheio.

O Ranking dos Políticos entende e compartilha dessa raiva. Mas tratar todos eles igual só piora o problema e nos deixa sem esperança. É preciso que cada um faca a sua parte: vigie, escreva, valorize as boas propostas (e elas existem!). Critique as propostas ruins. A preparação para 2018 começa agora. Temos a informação de quem é pior e quem é melhor. Temos o poder na mão de DEMITIR todos os piores políticos e dar uma chance para que os sérios apareçam e façam um trabalho melhor.

Não deixe sua raiva dar vitória por W.O. para os piores bandidos.

Postado em 22/11/2016

Quer empreender no Brasil?

Quer empreender no Brasil? Vai abrir um negócio, inventar um produto novo, gerar empregos, quer exportar? Prepare-se para um ambiente psicopata, disposto a matar a galinha dos ovos de ouro. 

Prepare-se para ser extorquido a cada etapa por burocratas incompetentes e corruptos. Prepare-se para um sistema de regras que ninguém tem ideia de como cumprir totalmente e que mudam do dia para a noite. Prepare-se para uma cultura em que parte da intelectualidade demoniza os que produzem e trata como deuses os que só tomam.

Ou o Brasil aprende a deixar a galinha colocar os ovos em paz ou vamos continuar andando para trás. Quer justiça social? Quer um Estado que ajude os necessitados? Pois bem, experimente fazer tudo isso quando as galinhas estiverem todas mortas. Será um país realmente em que todos estarão iguais: na miséria.

Postado em 22/11/2016

As prioridades estão erradas

Quando um país gasta 14 vezes mais para manter uma pessoa presa do que para educar um jovem é porque alguma prioridade está bem errada. 

Postado em 22/11/2016

Discurso estatista e populista pinta um país maravilhoso

O discurso estatista e populista pinta um país maravilhoso, cheio de "direitos". Na fantasia do discurso, a população tem educação e saúde de graça e os empregos são protegidos por robusta camada de regras trabalhistas.

Na vida real, um Estado inchado, incompetente e ladrão suga cada gota de riqueza que a sociedade produz. O dinheiro é roubado, desperdiçado ou torrado em privilégios oficiais para políticos e parte do funcionalismo (na ativa ou aposentado). O rolo compressor desse gigante obeso vai destruindo tudo pelo caminho e deixando, esmagados, os trabalhadores sem emprego, os pequenos e médio empresários endividados e a economia machucada, sem condições de produzir o que o país precisa.

Postado em 22/11/2016

Como esperar?

Como esperar que políticos investiguem seus colegas políticos?
Como esperar que juízes investiguem seus colegas juízes?
Como esperar que policiais investiguem seus colegas policiais?

Postado em 22/11/2016

Reforma política já!

O Brasil precisa de menos partidos e menos coligacões eleitorais. Apoie a reforma política:
- Voto distrital
- Fim do fundo partidário
- Limitação das doações de campanha
- Cláusula de votos mínimos para o partido ir ao Congresso (barreira)
- Redução no número de parlamentares

Por uma política mais simples, independente e barata

Postado em 22/11/2016

O Brasil não aguenta mais

Estado é indispensável e ele cumpre certas funções que o setor privado não tem condições de fazer.

No entanto, em alguns casos o Estado vai ficando cada vez maior, mais complexo, pesado e seu objetivo deixa de ser atender a população. Nesse momento, os interesses dos políticos e de parte dos funcionários públicos passa a ser engordar cada vez mais o próprio Estado e cavar mais e mais privilégios. Inchar o Estado vira o objetivo do próprio Estado. Os impostos vão aumentando, as pessoas que trabalham vão carregando um peso cada vez maior e todo mundo começa a ficar mais pobre. 

O Brasil não aguenta mais essa dinâmica. Chegou a hora de nos conscientizarmos e usarmos nosso voto e pressão política para demitir quem insistir nessa ideia suicida e valorizar os políticos que defenderem libertar a locomotiva desse vagão inútil

Postado em 22/11/2016

Trabalhadores que fogem das leis trabalhistas

Uma das principais preocupações com Donald Trump é que ele barre a imigração de estrangeiros e deporte os imigrantes ilegais que trabalham nos EUA.

Curiosamente, poucos questionam por que imigrantes latinos preferem arriscar a vida emigrando para os EUA, onde trabalham ilegalmente sem nenhum direito, a permanecerem em seus respectivos países, nos quais são agraciados com leis trabalhistas amorosas criadas por políticos protetores.

Por que, afinal, os países com “melhores” leis trabalhistas exportam trabalhadores?

Se as leis que protegem os empregados realmente tivessem o efeito esperado, veríamos americanos emigrando em massa para a América Latina, e ingleses fugindo em debandada para a Espanha e Portugal, onde é quase impossível demitir alguém.
Operários dos Estados Unidos, onde não há obrigação de aviso prévio, multa por rescisão de contrato e nem férias remuneradas, atravessariam desertos a pé para chegar ao México, onde o custo médio de uma demissão é de 74 semanas de trabalho.

Mas o que vemos é o contrário: os trabalhadores fogem dos países com leis que os protegem demais.

Há quase 200 mil portugueses e espanhóis trabalhando na Inglaterra, onde é muito fácil contratar e demitir. Cerca de 4 milhões de indonésios (segundo o Banco Mundial, um dos países onde é mais caro demitir) trabalham na Malásia, na Austrália e também em Cingapura, onde sequer há uma lei geral de salário mínimo.

Considere estes dois grupos de países:

1. Estados Unidos, Canadá, Austrália, Cingapura, Hong Kong (China), Maldivas, Ilhas Marshall.

2. Bolívia, Venezuela, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe, Tanzânia, Congo e República Centro Africana.

Quem acredita na mágica das leis trabalhistas diria que elas são mais rígidas nos países do primeiro grupo. Afinal, vivem ali os trabalhadores com melhor qualidade de vida no mundo.

Na verdade, no grupo 1 estão os sete países que, segundo o Banco Mundial, têm as leis que menos azucrinam os patrões. Já o grupo 2 reúne os sete países que mais protegem os trabalhadores.

Eis um fato: países com leis trabalhistas muito rígidas são geralmente lugares ruins para se fazer negócio. Lucro é considerado pecado; empresários são tidos como vilões. Pouca gente se aventura a investir ou abrir vagas de trabalho em lugares assim.

Já os países onde as leis trabalhistas são mais leves costumam ter mais liberdade para empreender, tradição de respeito à propriedade, facilidade para investir e, por causa disso tudo, mais oportunidades para os pobres.

É a facilidade de fazer negócios, e não um punhado de palavras escritas no papel, que garante direitos aos trabalhadores.

Por isso, vários latinos continuarão fugindo da proteção de seus políticos e arriscando a própria vida para entrar na “terra de Trump”, mesmo sabendo que lá não terão nenhum direito trabalhista. Esses ingratos não valorizam o amor que recebem de seus políticos...

Por Patricia Mendes

Postado em 22/11/2016

A notícia

O Ranking dos Políticos discorda de boa parte das propostas e ideias da deputada Maria do Rosário, do RS, sendo que ela não está bem colocada no Ranking. No entanto, nada justifica a violência verbal que sofreu, especialmente baseada em um post falso que circulou pelas redes sociais. Confiram abaixo. Dia 6 de novembro, o G1 noticiou que um PM motorista de Uber reagiu a um assalto e matou os bandidos. Depois, circulou pela internet um suposto comentário grotesco atribuido à deputada, em que ela teria condenado o PM e insinuado que seria melhor se ele morresse. Isso espalhou-se rapidamente pelas redes sociais e foi tomado como verdade por muita gente. Logo mais, ela foi agredida e chamada de "vaca" no discurso abaixo no plenário. Antes de publicarmos, o Ranking apurou o assunto e constatou que se trata de falsificação. Injustificável e inaceitável inventar palavras para colocar na boca dos outros, não importa quem nem qual ideologia. Mais um exemplo lamentável de como em muitas vezes as redes sociais podem se tornar uma verdadeira esgotosfera para se propagar ódio, preconceito e mentiras. Que sejamos todos guardiões da "boa luta", o debate verdadeiro e respeitoso de ideias.

Postado em 22/11/2016

A justiça do trabalho mais cara do mundo

Leiam o texto abaixo, de José Roberto Guzzo, publicado na Veja. É impressionante. 

Aconteceu numa sessão qualquer de uma dessas comissões da Câmara dos Deputados em que pouca gente fala, pouca gente escuta e quase ninguém presta atenção, mas nas quais, de vez em quando, é possível ficar sabendo das coisas mais prodigiosas. No caso, o deputado Nelson Marchezan Júnior, do Rio Grande do Sul, tomou apalavra a certa altura dos procedimentos e revelou o seguinte: a Justiça do Trabalho deu aos trabalhadores brasileiros que recorreram a ela no ano passado um total de R$ 8 bilhões em benefícios; no decorrer desse mesmo ano, gastou R$ 17 bilhões com suas próprias despesas de funcionamento. É isso mesmo que está escrito aí. A Justiça do Trabalho brasileira custa em um ano, entre salários, custeio e outros gastos, o dobro do que concede em ganhos de causa à classe trabalhadora deste país. Pela aritmética elementar, calculou então o deputado, o melhor seria a Justiça do Trabalho não existir mais, pura e simplesmente. Se o poder público tirasse a cada ano R$ 8 bilhões do Orçamento e entregasse essa soma diretamente aos trabalhadores que apresentam queixas na Justiça trabalhista, todos eles ficariam tão satisfeitos quanto estão hoje, as empresas reduziriam a zero os seus custos nesse item e o Erário gastaria metade do que está gastando no momento. Que tal? 

Não existe nada de parecido em país algum deste mundo, ou de qualquer outro mundo. Como seria possível, numa sociedade racional, consumir duas unidades para produzir uma — e achar que está tudo bem? O sistema ao qual se dá o nome de "Justiça do Trabalho" continua sendo uma das mais espetaculares extravagâncias do Brasil — e mais uma demonstração concreta, entre talvez uma centena de outras, da facilidade extrema de conviver com o absurdo que existe na sociedade brasileira. E o que nos faz aceitar resultados exatamente opostos ao que se deseja — estamos nos tornando especialistas, ao que parece, em agir de forma a obter o contrário daquilo que pretendemos. Todos querem, naturalmente, que a Justiça do Trabalho produza justiça para os trabalhadores. Mas fazem tudo, ou aceitam tudo, para gerar o máximo de injustiça, na vida real, para esses mesmíssimos trabalhadores. Que justiça existe em gastar R$ 17 bilhões de dinheiro público — que não é "do governo", mas de todos os brasileiros que pagam imposto — para gerar R$ 8 bilhões? É obvio que alguma coisa deu monstruosamente errado aí. A intenção era fazer o bem; está sendo feito o mal em estado puro. 

A Justiça trabalhista é acessível a apenas 40% da população; os outros 60% não têm contrato de trabalho. Ela não cria um único emprego — ao contrário, encarece de tal forma o emprego que se tornou hoje a principal causa de desestímulo para contratar alguém. Não cria salários, nem aumentos, nem promoções. Apenas tira do público o dobro do que dá. Mas vá alguém querer mexer nisso, ou propor que se pense em alguma reforma modestíssima — será imediatamente acusado de querer suprimir "direitos dos trabalhadores". Hoje a Justiça trabalhista gasta 90% do orçamento com os salários de seus 3,5 mil juízes, mais os desembargadores de suas 24 regiões, mais os ministros do seu "Tribunal Superior do Trabalho", mais os carros com chofer. Em nome do progresso social, porém, fica tudo como está. 

Tudo isso, claro, é apenas uma parte da desordem que transforma a Justiça brasileira numa imensa piada fiscal. Com a mesma indiferença, aceita-se que o Supremo Tribunal Federal, com 11 ministros, tenha 3 mil funcionários cerca de 300, isso mesmo, para cada ministro. Mas não é suficiente: o brasileiro tem de pagar também R$ 1 bilhão por ano para ser assistido por um "Tribunal da Cidadania", de utilidade desconhecida — o Superior Tribunal de Justiça, esse já com 33 ministros, quase 5 mil funcionários, incluindo os terceirizados e estagiários, e capaz de consumir dois terços inteiros do seu orçamento com a folha de pessoal. Tempos atrás, o historiador Marco Antonio Villa trouxe a público o deslize para a demência de um órgão público que foi capaz de consumir R$ 25 milhões, num ano, em alimentação para funcionários, pagar de R$ 400 mil a R$ 600 mil reais de remuneração mensal a seus ministros aposentados e ter na folha de pagamento repórteres fotográficos, auxiliares de educação infantil e até "jauzeiros". O que seria um "jauzeiro"? Vale realmente tudo, nesse STJ. 

Você pode querer que nenhuma mudança seja feita nisso aí. Também pode achar que esse sistema, tal como está, é uma conquista social. Só não pode querer que um negócio desses funcione.

Postado em 22/11/2016

É preciso impor limites ao governo

O economista inglês Arthur Seldon, do Institute of Economic Affairs (IEA) de Londres, conceitua o capitalismo como o sistema de organização econômica que faz tão pouco uso do processo político quanto necessário e tanto uso do mercado quanto possível. À luz dessa ideia, impera no Brasil o anticapitalismo, pois praticamos exatamente o inverso: somos pródigos no uso do processo político de decisões coletivas e economizamos avarentamente na utilização do processo de mercado de decisões individuais para a solução dos nossos problemas econômicos. Isto é, politizamos desnecessariamente, e com elevados custos, a solução dos nossos problemas econômicos.

Nosso setor público e o nosso processo político padecem de acromegalia, se agigantaram com o passar dos anos, comprimindo anatomicamente e comprometendo fisiologicamente o processo de mercado de decisões individuais. Nossa economia funciona mal porque, além de não ter espaço, sofre de engessamento e disfunções impostos pelo setor público. Perdemos, os cidadãos, em liberdade, eficiência e dignidade. Gera enorme perplexidade constatar que, a despeito de ser o processo político o mais incompetente dos processos sociais e, entre eles, o mais inclinado à corrupção, que exatamente a ele tenhamos delegado tantos desnecessários poderes em detrimento da autonomia, da responsabilidade e da eficiência individuais.

Essa alienação de direitos individuais – contrapartida do crescimento da maquinaria estatal e sua intervenção no mercado – decorreu de várias causas, entre as quais, e para os efeitos desta nota, vale a pena destacar: 1. a suposição de que o mercado tem falhas e, portanto, devem elas ser reparadas pela ação compensatória governamental; 2. a iniciativa pública pode conduzir o crescimento econômico nacional, levando-nos de volta ao paraíso perdido, onde a escassez é desconhecida.

Que o mercado tem falhas, é indiscutível; ele é imperfeito, fruto que é da imperfeita ação humana. Ocorre, porém, que o processo político também é um produto dessa mesma imperfeição e, portanto, tem falhas e estas são muito piores que as de mercado. Além disso, grande parte das chamadas falhas de mercado não passa de perversões induzidas ou diretamente produzidas pelas autoridades públicas.

Com relação à iniciativa pública na condução do processo de crescimento econômico, parece-me importante considerar-se o seguinte; a prosperidade das nações tem sido o fruto, não da ação estatal, mas da livre interação de agentes particulares responsáveis no seio do mercado, cada um deles na busca de seus próprios interesses pessoais. O progresso e o desenvolvimento dos povos têm sido o subproduto da ação humana, mas não de uma ação humana deliberada que se delineia numa prancheta de apenas algumas pessoas, que acabam impondo suas decisões às demais.

O progresso da humanidade tem resultado de fato do exercício autônomo da liberdade individual, num ambiente institucional respeitador dos direitos humanos e dos contratos autonomamente pactuados por indivíduos responsáveis; tem resultado também do respeito ao princípio da igualdade de todos diante da lei; da eficácia da justiça, que impede a impunidade e facilita o acesso aos tribunais; tem resultado, finalmente, da qualificação do agente humano, pela melhoria da sua saúde e educação. Em síntese, a prosperidade das nações (Adam Smith, 1776) resulta da eficácia de duas instituições: Estado de Direito e Economia de Mercado; e de uma condição: a da saúde e educação das pessoas.

A intervenção estatal na economia brasileira perverteu aquelas instituições, e a essa ação demolidora foram dedicados tanto tempo e recursos que pouco restou para a educação e a saúde. A solução da crise brasileira está na devolução, ao processo de mercado de decisões individuais, da solução dos problemas que foram delegados à política.

Nota: Artigo retirado do livro de crônicas Og Leme, um liberal, editado pelo Instituto Liberal em 2011.

Postado em 22/11/2016

Campeão absoluto em demora para se calcular os impostos!

Em nenhum lugar do planeta as empresas passam tantas horas tentando calcular quanto elas têm de impostos a pagar. Segundo reportagem da revista Economist, somente dois países, Nigéria e Bolívia, chegam perto, mas também perdem do Brasil. Por aqui, o caos é tão grande que uma empresa leva em média 2 mil horas de cálculos e conferências tentando pagar os impostos.

 

Postado em 22/11/2016

Sempre atrapalhando!

Mentes brilhantes desperdiçadas. Invenções que deixam de ser inventadas. Empresas que deixam de ser abertas. Empregos que deixam de ser gerados.

São os burocratas brasileiros, com sua mente cartorial, seu pensamento complicado, seu jeito especial de atrapalhar qualquer um que queira fazer algo de útil no país.

E claro, tem também todos os burocratas que sabem que criar dificuldades abre espaço para vender facilidades...

Postado em 22/11/2016

Métodos de tributar

Ninguém gosta de impostos, mas eles precisam existir. Mesmo onde o Estado é pequeno, ainda assim existem atividades que só o governo pode fazer e, para isso, precisa ter impostos. 

Mas eles podem ser cobrados de forma racional, fazendo com que o país colha os frutos de uma economia forte e o diinheiro se transforme em bons serviços públicos.

Já no Brasil os impostos são cobrados de forma absurda, recaíndo especiamente sobre os bens de consumo, que são comprados proporcionalmente mais pela população mais pobre. Além disso, quando se tributa o consumo, o efeito é encarecer os produtos, reduzir a compra e deixar empresas e consumidores mais pobres. 

É o imposto que corta a árvore ao invés de colher os frutos.

Reforma tributária já! Impostos moderados, simplificados, fáceis de entender e difíceis de sonegar.

Postado em 22/11/2016

Políticos criando um novo imposto

Segundo a compilação legislativa do advogado Vinicius Leôncio, entre 1988 e 2011 já foram criadas 275.095 regras tributarias. Isso dá quase cinquenta novas regras POR DIA que o governo inventa para as empresas seguirem. 

De acordo com a Fiesp, o custo total das empresas com contadores e advogados tributaristas é de 45 bilhões de reais por ano, mais do que todo o orçamento do bolsa família. 

O ICMS, por exemplo, muda de Estado para Estado, aumentando a complexidade. Isso significa que, para estar dentro da lei, uma empresa precisa conhecer 27 legislações diferentes sobre ICMS, em um total de mais de 3500 normas espalhadas por calhamaços de legislação do Rio Grande do Sul a Roraima. 

Como se já não bastasse a complexidade de calcular os impostos existentes, o governo ainda criou 91 chamadas “obrigações acessórias”, os guias, formulários e livros que precisam ser preenchidos pelas pessoas ou empresas depois de pagar um tributo.

O sistema tributário brasileiro é injusto, ineficiente, estúpido e destruidor da riqueza do país.

Postado em 22/11/2016

Precisamos mudar!

Enquanto o Congresso Nacional continuar omisso com a reforma no sistema político, nossa democracia continuará sangrando. A reforma política no Brasil não pode ser feita de forma tímida – e ainda mais com os deputados e senadores se preocupando se terão vantagem com as futuras alterações. Ignorar as falhas da nossa Constituição e do sistema Presidencialista não resolverá o grande gargalo político que temos no país

É preciso discutir de forma responsável o fim do fundo partidário; fim do voto obrigatório e adotar o voto distrital.

Postado em 22/11/2016

Códigos estaduais de ICMS

Você sabe o que significa ICMS-ST (Substituição Tributária)?

Você sabia que uma fábrica instalada por exemplo no Mato Grosso precisa pagar imposto ICMS estadual não apenas para o local onde está instalada (MT) mas também precisa pagar um outro imposto adicional, para o estado destino onde vai vender seus produtos?

O ICMS-ST, muda de Estado para Estado, aumentando a complexidade. Isso significa que, para estar dentro da lei, uma empresa precisa conhecer 27 legislações diferentes sobre ICMS, em um total de mais de 3500 normas espalhadas por calhamaços de legislação do Rio Grande do Sul a Roraima.

Os empreendedores que tocam a fábrica perdem os cabelos, mas sabe quem paga a conta de tudo isso? Sim, adivinhou, você paga. Empresários não são idiotas. Eles colocam o custo dessa insanidade toda dentro dos produtos e serviços que vendem.

Mais uma coisa, criada no Brasil, que torna tudo mais caro e torna você mais pobre.


Postado em 22/11/2016

Alf e o debate político brasileiro

Alf é um alienígena vindo de um planeta onde as discussões políticas são feitas de maneira respeitosa. Lá você pode discordar de alguém sem partir para xingamentos, sem agredir, sem virar inimigo. Lá as diferenças são celebradas e vistas como formas de se aprender com alguém e conhecer novos pontos de vista. Lá as disputas são resolvidas na base da argumentação de ideias e não na desqualificação nem rotulação.

Alf escolheu o Brasil para visitar primeiro e estudou português, porém, está tendo dificuldades de entender algumas palavras que aqui estão sendo usadas fora de contexto. Esse breve glossário foi criado para ajudá-lo a se interar:

Coxinha => Rótulo usado por uma parcela da população para desqualificar outra parcela na hora do debate. O coxinha é pintado como alguém insensível, consumista, preocupado apenas com o próprio umbigo ou qualquer um que não pense da maneira “correta” e “progressista”

Petralha => Rótulo usado por uma parcela da população para desqualificar outra parcela na hora do debate. “Petralha” é uma palavra criada por um articulista de revista, que mistura as palavras “Petista” + “Metralha” (dos irmãos que queriam assaltar o Tio Patinhas, da Disney). Atualmente, qualquer um que não comungue das ideias liberais ou que discorde do processo de impeachment de Dilma Rouseff é chamado de “Petralha”

Fascista => Desqualificação dos argumentos dos “coxinhas”, associando ao movimento extremista italiano qualquer objeção que tenham às políticas de esquerda. Normalmente quem chama o outro de fascista tem pouca ou nenhuma ideia do que tenha sido o fascismo realmente nem de quão parecidos foram os movimentos fascistas com os de extrema esquerda ao longo da história

Mimimi => Desqualificação dos argumentos dos “Petralhas”, associando ao choro de criança qualquer objeção que tenham à política econômica, ao processo de impeachment ou críticas aos governo Temer

Mortadela => Relativamente recente, “mortadela” é uma forma de desqualificar os participantes de manifestações de esquerda, dando a ideia de que todos estão lá por ganharem dinheiro ou comida dos organizadores

Burguesia => Termo antigo e batido, “burguesia” seria uma classe social desprezível, inferior às demais, segundo o ideário de extrema-esquerda. O burguês é mesquinho, consumista, alienado, inferior ao verdadeiro “povo”, inferior aos grandes capitalistas (que são de certa forma admirados como super-heróis do mal) e certamente inferiores aos “pensadores progressistas”

Mais alguns termos, para caso alguém queira descrever: "reacionário", "esquerdopata", "golpista"...

Ranking dos Políticos. Isentão: jamais. Educado: sempre.

Postado em 22/11/2016

Aumento das verbas

Enquanto dizem ao povo para apertar o cinto, nossos parlamentares não se prestam a cortar privilégios dos seus partidos.

Instalou-se na Câmara a comissão que discutirá a reforma política, e apesar da crise de representatividade, fiscal e econômica que vivemos, o aumento das verbas para os partidos já é tratado como prioridade, com propostas que beiram os R$ 3 bilhões!

Pressione seu deputado. Vamos fazer valer o interesse de nós, cidadãos comuns – não podemos aceitar que nossos recursos, que são escassos para tantas necessidades do país, sejam sugados para sustentar partidos.
 

Postado em 22/11/2016

Você está em que lugar do barco?

Já passou da hora dos remadores desse barco dizerem "basta"

Postado em 22/11/2016

Impostos de consumo

Se toda vez que tivermos uma chance de aprovar alguma medida boa alguém for lá e ficar criticando sem nenhum embasamento qualquer aí nossas chances de ir pra frente vão pelo ralo.

Veja por exemplo o caso dos impostos de consumo. Se o imposto for reduzido, os preços caem também e o poder de consumo das famílias fica melhor. Aí vem, sempre, alguns cínicos, dizendo "duvido que os empresários vão baixar os preços. Eles vão embolsar a diferença".

Nãaaaaaoooo. Pessoal, vamos retomar o básico do básico de economia? Vamos aprender sobre as leis de oferta e procura, já amplamente documentadas e embasadas por 100% dos economistas sérios? Empresários não são bonzinhos. Empresários não são malvados. Eles cobram o que dá pra cobrar. 

A caixa de sabão em pó custa dez reais porque é o preço de mercado. Se fosse apenas uma questão de ganância, a fábrica de sabão cobraria vinte reais e ganharia mais, não é mesmo? Ela não faz isso porque não consegue. 

Se o governo reduz o imposto para todo mundo, o custo cai para todo mundo e a competição força as empresas a baixar o preço. 

Se você quer ver um país em que as empresas ganham relativamente pouco e o cidadão tem um padrão de vida cada vez maior, então as leis precisam favorecer muita competição e impostos de consumo relativamente baixos.

Postado em 22/11/2016

Diga não aos populistas.

Você se trataria com o médico do lado esquerdo da imagem?

É impressionante a quantidade de gente no Brasil que ainda cai no conto dos populistas. Populismo significa o político prometer soluções fáceis e gostosas para deixar as pessoas mais felizes a curto prazo, porém com um alto preço mais à frente.

Significa falar em mais e mais gastos, mais e mais "bondades" que o governo vai fazer por você, sem te lembrar sobre quem paga essa conta depois: você mesmo, sempre, e em dobro.

Significa descuidar das contas publicas, gastando mais do que se arrecada, sem te falar que a consequência é sempre a mesma. É aquilo que você já sabe que acontece se você gastar mês após mês mais do que seu salário: dívida, ficar escravo dos juros e a bomba explodir lá na frente.

Não tem solução fácil. Trabalho duro, disciplina, combate aos privilégios. Único caminho para o país ficar mais próspero e justo. Diga não aos populistas.

Postado em 22/11/2016

Onyx Lorenzoni

O Deputado Onyx Lorenzoni, incluiu nas 10 medidas a tipificação do crime de caixa 2, o projeto poderá ser votado hoje na comissão especial.

Postado em 22/11/2016

Conte com o Ranking. O Ranking conta com você

Antes de mais nada: MUITO OBRIGADO!

Somos 400 mil.

Um projeto que nasceu em 2007 do idealismo de dois voluntários segue firme e forte. Continua voluntário. Continua independente. Continua crescendo e incomodando cada vez mais quem está encastelado no poder.

Somos 400 mil que querem ficar de olho nos políticos

Somos 400 mil que sabem que o único caminho é votar melhor

Somos 400 mil dispostos a combater os privilégios e as mamatas de todos os partidos

400 mil buscando um país mais simples, mais justo, mais próspero

Conte com o Ranking. O Ranking conta com você

Postado em 22/11/2016

Fique ligado nas 10 medidas

Hoje é o dia da votação da proposta de 10 Medidas contra a Corrupção, que foram subscritas por 2,3 milhões de cidadãos. O objetivo das medidas, que tramitam na Câmara dos Deputados na forma do projeto de Lei 4850/2015, é um só: prevenir e punir a corrupção. Entretanto, alguns querem aprovar uma anistia aos investigados da Lava Jato sem deixar digital. Os brasileiros precisam ficar atentos.

Postado em 22/11/2016

Que tal pararmos de pensar em desigualdade?

Em 30 anos, o crescimento assombroso da China tirou nada menos do que 680 milhões de pessoas da miséria, dando-lhes renda e acessos a bens e serviços nunca sonhados por uma população que passava fome nas plantações de arroz. Só que, vejam só, a desigualdade chinesa também aumentou nesse mesmo período.

Além dos miseráveis que subiram de vida, criou-se uma classe política e empresarial de super-ricos que concentra cada vez mais riqueza. Praticamente todo mundo está melhor, ainda que alguns poucos tenham ganho mais do que a maioria.

Essa é a cara do desenvolvimento capitalista (ainda que a China esteja longe de ser um país liberal): todos ganham, mas nem todos ganham a mesma coisa. E aí, o que é melhor para os chineses? Ter renda e consumo sabendo que a elite de seu país é muito mais rica do que eles jamais serão, ou passar fome com o consolo de que sua elite é formada de milionários e não bilionários? Pobreza ou desigualdade?

Se o nosso objetivo é melhorar as condições de vida humana, dando uma vida digna a todos, nossa preocupação é com a pobreza, e não com a desigualdade.

Pobreza diz respeito às condições absolutas em que alguém se encontra. Tem comida? Acesso a água potável? Habitação? Trabalho? Seus filhos podem frequentar uma escola ou se veem forçados a trabalhar? Os critérios são muitos.

Já desigualdade é uma variável relativa, que nada diz sobre as condições absolutas de vida. Para saber se um país é desigual, é preciso comparar seus habitantes mais ricos e mais pobres e ver a distância entre eles. Um país que tenha uma pequena parcela de milionários e o restante da população passe fome é muito desigual. Já um onde todos passem fome é igualitário. A condição objetiva dos pobres em ambos, contudo, é a mesma.

Igualmente, se os mais pobres viverem como milionários, e os mais ricos sejam uma pequena parcela de trilionários, a desigualdade é grande.

As duas coisas, pobreza e desigualdade, se confundem facilmente, de modo que muita gente que se preocupa espontaneamente com a pobreza (que se preocupa, por exemplo, com quem não tem acesso a saneamento básico, ou a educação) acaba falando de desigualdade: da diferença entre os mais ricos e os mais pobres. E essa mistura muda nossa maneira de pensar: acabamos pensando que pobreza e desigualdade são a mesma coisa e que, portanto, o melhor remédio contra a pobreza é a redução da desigualdade, o que via de regra significa tirar de quem tem mais e dar para quem tem menos.

Novamente, a China ou mesmo a história europeia nos últimos dois séculos mostra que não precisa ser assim.

A tendência mundial das últimas décadas tem sido o aumento da desigualdade dentro de cada país. Mas se olharmos para o mundo como um todo, comparando cidadãos de países pobres com os de países ricos como se a Terra fosse uma grande nação, a desigualdade vem caindo. A distância entre o cidadão médio de um país pobre para o de um país rico diminuiu, ainda que, no mundo todo, a classe dos mais ricos venha concentrando mais renda.

O principal índice para se medir a desigualdade econômica dentro dos países é o índice de GINI. Em geral, maior riqueza está associada a maior igualdade; só que há muitas e muitas exceções. Pelo índice de GINI, os EUA são mais desiguais que o Senegal. O Afeganistão é das nações mais igualitárias do mundo (o Canadá é mais desigual que o Afeganistão). 

O Brasil, mesmo com sua altíssima carga tributária, segue sendo um dos países mais desiguais do mundo (outra ilustração da ineficiência de nosso estado em fazer aquilo a que ele se propõe), mas não é nem de longe o mais pobre. O pobre brasileiro, por pior que seja sua condição de vida, está melhor que o pobre indiano, apesar de viver numa nação muito mais desigual.

Pelo mesmo índice, o Canadá é mais desigual que Bangladesh, a Nova Zelândia é mais desigual que o Timor Leste, a Austrália é mais desigual que o Cazaquistão, o Japão é mais desigual que o Nepal e a Etiópia.

É um fato que a desigualdade desagrada a muitos. Ofende o senso moral de muita gente pensar que uma pessoa tenha riqueza brutalmente maior do que outra sem ter tido o mesmo esforço, ou o mesmo mérito, para consegui-la. Herança talvez de uma ética do trabalho, que não consegue aceitar a riqueza (ou o prazer de maneira geral) exceto como recompensa de privações, esforço, sacrifício. Ou ainda da visão antiga de que é a riqueza dos ricos que causa a pobreza dos pobres.

A transferência de renda, embora talvez útil para aliviar situações agudas de pobreza, é um meio ineficiente para promover a geração sustentável de riqueza. Relações ganha-ganha geram um ciclo virtuoso, aumentando a riqueza total, que nos permite deixar para trás o eterno cabo de guerra por uma riqueza estanque.

Imagine se a China tivesse parado nos anos 1970, brigando para repartir o minúsculo bolo que era sua economia. Hoje o bolo cresceu, mas também os super-ricos. Se conseguíssemos, pela primeira vez em muitos séculos, olhar para fortunas imensas sem sentir indignação, o mundo talvez virasse um lugar melhor.
De Joel Pinheiro

Postado em 22/11/2016

Bolsa família

O descalabro era tão grande, e tão absurdo, que mesmo medidas basilares acabam tendo reflexos estrondosos nas contas públicas. No caso do Bolsa Família, bastou checar a regularidade de alguns beneficiários cadastrados para que o corte fosse alto.

R$ 2,4 bilhões ao ano, convenhamos, não é um montante desprezível. E agora isso pode ser direcionado a finalidades corretas, em favor das pessoas que realmente precisam.

Desse modo, fica claro que antes mesmo de uma discussão sobre a validade ou não do programa, é preciso ao menos fiscalizar o cumprimento das normas.

Enfim, faltava gestão. Que continue assim, sobretudo para o bem de quem precisa.

Postado em 22/11/2016

Qual médico que você se trataria?

Você se trataria com o médico da direita?

É impressionante a quantidade de gente no Brasil que ainda cai no conto dos populistas. Populismo significa o político prometer soluções fáceis e gostosas para deixar as pessoas mais felizes a curto prazo, porém com um alto preço mais à frente.

Significa falar em mais e mais gastos, mais e mais "bondades" que o governo vai fazer por você, sem te lembrar sobre quem paga essa conta depois: você mesmo, sempre, e em dobro.

Significa descuidar das contas publicas, gastando mais do que se arrecada, sem te falar que a consequência é sempre a mesma. É aquilo que você já sabe que acontece se você gastar mês após mês mais do que seu salário: dívida, ficar escravo dos juros e a bomba explodir lá na frente.

Não tem solução fácil. Trabalho duro, disciplina, combate aos privilégios. Único caminho para o país ficar mais próspero e justo. Diga não aos populistas.

Postado em 18/10/2016

Os impostos no Brasil

Os impostos no Brasil não foram criados para as pessoas entenderem e conseguirem pagar. Cada um dos encargos possui regulamento específico e forma própria de cálculo. O ICMS, por exemplo, muda de Estado para Estado, aumentando a complexidade. Isso significa que, para estar dentro da lei, uma empresa precisa conhecer 27 legislações diferentes sobre ICMS, em um total de mais de 3500 normas espalhadas por calhamaços de legislação do Rio Grande do Sul a Roraima. Como se já não bastasse a complexidade de calcular os impostos existentes, o governo ainda criou 91 chamadas “obrigações acessórias”, os guias, formulários e livros que precisam ser preenchidos pelas pessoas ou empresas depois de pagar um tributo. Segundo a compilação legislativa do advogado Vinicius Leôncio, entre 1988 e 2011 já foram criadas 275.095 regras tributarias. De acordo com a Fiesp, o custo total das empresas com contadores e advogados tributaristas é de 45 bilhões de reais por ano, mais do que todo o orçamento do bolsa família. 

Segue abaixo uma lista de alguns desses encargos: 
• IR — Imposto de Renda 
• CSLL — Contribuição Social sobre o Lucro Líquido 
• IPI — Imposto sobre Produtos Industrializados 
• ICMS — Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços 
• PIS — Programa de Integração Social 
• Cofins — Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social 
• IST – Imposto de substituição tributária
• CPMF — Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira 
• IOF — Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos e Valores Mobiliários 
• INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social
• ISS — Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza 
• IPVA — Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores 
• IPTU — Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana 
• II — Imposto de Importação 
• Senac — Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado Comercial 
• Senai — Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado Industrial 
• ITBI — Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis 
• ITCMD — Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação sobre Quaisquer Bens ou Direitos 
• SAT — Contribuição ao Seguro Acidente de Trabalho 
• Incra — Contribuição ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária 
• Sebrae — Contribuição ao Serviço Brasileiro de Apoio a Pequena Empresa 
• Sesi — Contribuição ao Serviço Social da Indústria 
• Sesc — Contribuição ao Serviço Social do Comércio 
• Cide Combustíveis — Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico 
• Cide Remessas Exterior — Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico 
• Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública 
• Contribuição aos Órgãos de Fiscalização Profissional (OAB, CRC, Crea, Creci, Core etc.) 
• IE — Imposto sobre a Exportação 
• ITR — Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural 

E se a empresa precisar apresentar algum documento (como sempre precisa), deve-se “autenticá-lo” em um dos mais de quatorze mil cartórios que há no Brasil. Instituição bastante peculiar nossa (nos Estados Unidos eles não existem - parte dos serviços são prestados pelas prefeituras), no Brasil há cartórios de registro civil, de notas, de registro de imóveis, de distribuição, de protesto, de registro de títulos. Numerosos, eles arrecadam doze bilhões de reais por ano, aumentando a lentidão, o custo e a burocracia. 
Algumas regras mudam tão rapidamente que muitas empresas são forçadas a suportar grandes departamentos fiscais na tentativa de se manterem atualizadas. A unidade da Gerdau nos Estados Unidos, por exemplo, possui apenas dois funcionários trabalhando na área tributária. No Brasil, a empresa possui mais de duzentas pessoas. O tempo médio de processamento de impostos no Brasil é de 2.600 horas por homem, o maior índice em todo o mundo. Nos últimos cinco anos, o governo brasileiro criou uma média de oito mil novas regras tributárias por ano. 

A burocracia é infernal: abrir um novo negócio no Brasil demanda dezessete diferentes procedimentos, em diversas repartições públicas. Deve-se pagar diversas taxas e ainda o chamado “imposto da pressa”, pequenos subornos destinados a fazer com que o burocrata de plantão efetivamente faça o trabalho para o qual foi contratado. Segundo estudo do Banco Mundial chamado "doing business", a média mundial de tempo para se abrir uma empresa é de trinta dias. No Brasil, o tempo é de 119 dias, ou seja, quatro meses de espera para alguém poder finalmente começar a produzir e gerar empregos. Em estudo do Fórum Econômico Mundial entre as 144 nações pesquisadas, o Brasil ficou em último lugar no quesito regulamentação governamental. Fechar empresas é ainda pior. Mesmo empresas inativas há mais de dois anos e há mais de dez sem empregados ainda precisam enfrentar um vulcão de certidões, balanços, contratos, guias e pedidos de baixa em cartório, conselho profissional, prefeitura e receita federal, levando quase cinco meses para poder fechar.

Isso tudo aumenta ainda mais os custos para quem produz. Em Hong Kong abre-se uma empresa em 24 horas. Em diversas ocasiões, nós, autores deste post, nos vimos na situação de tentar explicar a estrangeiros, nunca com sucesso, o sistema tributário nacional. Após algumas horas debruçados sobre as planilhas, eles invariavelmente desistem, perplexos. 

Mesmo esforçando-se para cumprir a lei, mesmo investindo em exércitos de analistas fiscais, contadores e consultores tributários, a complexidade da selva legal brasileira é tamanha que as empresas invariavelmente erram. Agentes fiscais ambiciosos escrutinam as minúcias operacionais para encontrar brechas e pretextos de multa. Abre-se espaço para os chamados vendedores de facilidades, onde gordas propinas podem ser pagas para comprar a vista grossa dos fiscais. A indústria do jeitinho vai se solidificando nesse processo, prejudicando a competitividade do Brasil e reduzindo a arrecadação.

Postado em 18/10/2016

Mordida inescapável

Postado em 18/10/2016

Preço de alimentos cai e setembro tem menor inflação para o mês desde 1998

A queda no preços dos alimentos em setembro fez a inflação cair ao menor patamar para o mês desde 1998. O índice mensal ficou em 0,08%, divulgou o IBGE nesta sexta-feira (7).

A última vez que o país viu o IPCA –a inflação oficial do país– em nível tão baixo foi em julho de 2014, quando esteve em 0,01%. Em agosto, o índice foi de 0,44%.

No acumulado do ano, a inflação foi de 5,51%. Já nos 12 meses encerrados em setembro, o indicador esteve em 8,48%, acima do teto da meta do governo, de 6,5%.

O mercado, segundo levantamento da Bloomberg, esperava alta de 0,19% em setembro e de 8,6% nos 12 meses.

A desaceleração em setembro foi puxada pelo recuo generalizado no preço de alimentos e bebidas, que caíram em média 0,29% no mês. O grupo é o que tem o maior peso no cálculo da inflação.

Postado em 18/10/2016

Ulysses Guimarães

Aniversário de Ulysses Guimarães.

Ulysses Silveira Guimarães nasceu em 1916, em Rio Claro, no interior de São Paulo. Advogado, foi eleito deputado federal 11 vezes, sendo o deputado que mais tempo exerceu a função, de 1951 a 1992.

Tornou-se um dos mais ativos opositores da ditadura militar, tendo lançado a própria candidatura à Presidência em 1973, como forma de protesto ao regime de Médici. Apoiou o movimento "Diretas Já" e fundou o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMBD).

Presidente da Assembleia Nacional Constituinte que instaurou a Constituição de 1988, Ulysses disse que ela deveria ser "a voz, a letra, a vontade política da sociedade rumo à mudança". Em 1992, o helicóptero que transportava Ulysses, a esposa e o ex-senador Severo Gomes caiu no mar após uma tempestade. O corpo do político nunca foi encontrado.

Postado em 18/10/2016

Campanha para explicar corte de gastos

Governo faz campanha de marketing para explicar à população porque tomará medidas de corte de gastos nos próximos meses

Postado em 18/10/2016

O que somos?

Nós somos apartidários, significando que não recebemos dinheiro de partido algum, não apoiamos nenhum partido específico e julgamos cada político individualmente, sem levar em conta a legenda pela qual ele foi eleito.

Mas isso não significa, de forma alguma, que somos "neutros". Não somos "neutros". Não somos "isentos". Estamos sempre do lado do rebanho, buscando protegê-lo dos lobos predadores. Estamos sempre do lado da democracia, das liberdades individuais, do Estado de direito, da aplicação da lei para todos, independentemente de você ser um cidadão comum ou ser uma minoria com bandeira. Estamos sempre em busca de um Estado enxuto e eficiente, fazendo muito bem feito algumas coisas essenciais e se metendo o mínimo possível na vida das pessoas. Essas são nossas bandeiras desde o princípio e quem nos ataca cobrando coisa diferente ou está com preguiça de ler ou está mal intencionado mesmo.

O Ranking é um trabalho voluntário e financiado 100% do bolso dos criadores. Somos independentes de quaisquer pressões externas e não aceitamos doações nem ordens de ninguém.

Postado em 18/10/2016

Vamos à luta

Nossa luta é para dar ao Brasil opções melhores. Acreditamos realmente que é possível

Postado em 18/10/2016

Trabalho escravo barato?

Existem sindicatos fortíssimos na China desde 1925. Durante décadas, isso não ajudou em nada os centenas de milhões de trabalhadores, que permaneceram miseráveis e explorados.

Nos últimos anos, porém, com o crescimento econômico acelerado, os salários naturalmente começaram a subir e hoje um trabalhador chinês ganha muito melhor que um equivalente brasileiro. Em dez anos, o salário médio real, descontada a inflação, de operário iniciante nas fábricas chinesas subiu 327% e atingiu o equivalente a R$ 1399. Como quase tudo na China custa metade do que custa no Brasil, então o poder de compra é ainda maior.

O mito do "escravo barato chinês" é mais uma daquelas fantasias que tem como objetivo nos tornar mais tolerantes com a nossa própria incompetência. O melhor caminho comprovado mundialmente para melhorar a vida dos trabalhadores é: muito crescimento, muito emprego, patrões desesperados por mão de obra, forçando salários a subirem. Ninguém melhora a vida de ninguém na base da canetada. 

Até um país auto-intitulado comunista, como a China, sabe disso.

Fonte: centro estatístico da NBSC

Postado em 18/10/2016

Classes sociais

Dividir o mundo de forma simplista entre “ricos” e “pobres” é mais uma velha teoria furada, que só leva ao ódio entre classes sociais imaginárias. A verdadeira luta é entre quem trabalha e produz riqueza, de um lado, e quem vive de aproveitar-se das brechas do sistema, do outro. Acima de tudo, a luta é contra uma FORMA DE PENSAR que cria essa brechas. Quanto mais regras e complexidade, mais brechas aparecem, para as pessoas encontrarem. Quanto mais simples e igualitário for o país, mais justo ele fica. 

Postado em 18/10/2016

Taxas de impostos no Brasil

Veja abaixo algumas incidências de impostos no Brasil. Nós taxamos muito o consumo (pesa mais para pobres), taxamos moderadamente a renda e taxamos muito pouco as aplicações financeiras e heranças (pesa mais para ricos).

Proporcionalmente, portanto, o Brasil espreme muito mais os pobres do que os ricos. Essa política vem de décadas e foi mantida pelos governos tanto do PT quanto PSDB, partidos que se dizem preocupados com a "justiça social".

O dinheiro que chega ao pobre brasileiro na forma de assistencialismo, como por exemplo o bolsa família, é apenas uma migalha perto do que o governo cobra do próprio pobre cada vez que ele compra um saco de feijão, um rolo de papel higiênico ou paga sua conta de luz. Um roubo silencioso e oculto dentro dos preços dos produtos.

Postado em 18/10/2016

Noruega, um país de avanço

A Noruega, um dos países mais avançados do mundo, não por coincidência é um dos melhores gestores econômicos também. Nas últimas décadas, exportou centenas de bilhões de dólares em petróleo e gás natural encontrados nos mares. O que fizeram com o dinheiro? Torraram em bens de consumo? Despejaram os recursos na economia, gerando inflação e destruindo a competitividade das empresas? Não, a Noruega guardou essa riqueza, criando o maior fundo soberano do planeta, uma "poupança" nacional, em que os recursos são investidos e formam reserva para ajudar o país em tempos difíceis.

O valor já se aproxima a um trilhão de dólares e, se dividido pela população de cerca de cinco milhões, isso significa que cada homem, mulher ou criança da Noruega teria o equivalente a meio milhão de reais nesse fundo. Uma garantia de segurança e prosperidade que os noruegueses querem deixar de legado aos seus filhos e netos.

Enquanto isso, o Brasil se afunda em dívidas impagáveis, como a da previdência, e joga isso nas costas das nossas crianças para elas se virarem.

Postado em 18/10/2016

Votou nulo? Votou no pior!

Quer votar nulo? Está p... da vida, decepcionado com a política, desiludido? Nós realmente compreendemos essa sensação e essa vontade. Mesmo!

Mas votar nulo só piora as coisas. É dar o poder de bandeja para os piores dos piores. Os bandidos não precisam de você nem do seu voto. Eles já têm seus currais eleitorais, compostos por gente muito sofrida, humilde, sem acesso à informação e dependente de programas sociais. Ou então composta de militância extremista e barulhenta, mamando de uma forma ou de outra em alguma brecha estatal.

Tem gente que merece seu voto. Não gosta de nenhum? Tudo bem, vote no menos pior, mas não dê o poder de bandeja para os mais bandidos votando nulo.

Postado em 18/10/2016

O que destrói mais?

Postado em 18/10/2016

Afinal, é um bom motivo para protesto?

Protestar contra o avanço tecnológico. O que você acha? Atitude de defesa do emprego ou ato sem sentido de apego ao atraso?

Postado em 18/10/2016

Temos conhecimento sobre o lucro?

Importante nos educarmos pelo menos sobre o básico do básico de como funcionam as economias. Quando você vai às compras, quase metade do valor que gasta são os impostos embutidos nos preços. Se acha algo caro, é muito mais provável o motivo ser os impostos do que ser as empresas gananciosas querendo lucrar em cima de você.

Se as empresas fossem livres para cobrar mais elas aumentariam os preços e ganhariam mais dinheiro. Mas elas não conseguem. Elas cobram o que dá pra cobrar porque, ao contrário do governo, elas tem COMPETIÇÃO. É por isso que o lucro dos maiores varejistas do Brasil é tão baixo. Em média, eles ficam com apenas 3% a 4% do que vendem, enquanto o governo leva próximo a 40%. Se você achar o feijão do Carrefour caro, pode ir comprar no Extra. Já o governo, se você achar caro não tem o que fazer.

Não vamos nos enganar. Empresas não são gananciosas. Empresas não são boazinhas. Elas são o que são. Um bom governo facilita a vida das empresas, para reduzir o custo delas. E ao mesmo tempo estimula para ter muita competição e deixar as empresas brigarem para baixar os preços e melhorar os serviços.

Postado em 18/10/2016

Como acabar com a desigualdade?

Desigualdade social extrema e miséria são pragas que necessitam de boas políticas públicas para serem reduzidas. É um dever do Estado cuidar das pessoas que mais necessitam, especialmente em momentos de emergência.

A longo prazo, porém, só existe um único programa social sustentável, que dê dignidade e que possa se manter com o tempo: emprego. E para ter emprego, é preciso cuidar bem da economia. É preciso facilitar o investimento, reduzir burocracia, dar a chance para as empresas crescerem e contratarem. Não é por acaso que os países mais desenvolvidos do mundo se preocupam tanto em ter um ambiente econômico estável e regras claras para que as pessoas possam empreender e contratar.

Postado em 18/10/2016

Resumindo o Brasil

Uma imagem para resumir o Brasil: 

Um país em que dezenas e dezenas de milhões de cidadãos comuns pagam uma refeição que eles não comeram.

A cada passo, a cada vez que você recebe um holerite, compra um pastel, abastece o carro, acende a luz da sua casa, a cada respiro uma fatia do seu trabalho é arrancada de você e enviada para o governo. Esse, por sua vez, consegue através de ideias antiquadas, incompetência, desperdício e corrupção, acabar bom boa parte do dinheiro, chegando muito pouco de volta a você e às pessoas que realmente necessitam.

Postado em 18/10/2016

Brasil é um país incrível, porém, cheio de problemas

O Brasil é um país incrível, cheio de maravilhas, porém cheio também de problemas, que nos condenam ao atraso e atrapalham o futuro dos brasileiros.

Esses são os três maiores:

1) Governo ideológico: insistir em ideias que não funcionaram em lugar nenhum do mundo, ignorando a realidade

2) Governo incompetente: fazer caro e mal feito desde as coisas mais básicas até as mais complexas

3) Governo corrupto: desviar os recursos de modo que eles acabam em bolsos particulares ao invés de chegarem onde precisam

Se resolvermos essa três coisas o país não fica perfeito, mas melhora 90%! Não adianta fazer somente uma delas, precisa atuar nos três problemas.
 
Postado em 18/10/2016

Educação é um dever do Estado

É covardia soltar no mundo ao mesmo tempo crianças que tiveram berço de ouro para competirem com crianças que nunca tiveram nada. Somente educação de alta qualidade para todos pode dar justiça e uma chance igual para todos. 

Acreditamos que o melhor jeito de se atingir isso é pelo sistema de vouchers: a família escolhe, o governo paga, a educação brasileira sai ganhando. Um programa já implantado em diversos países com muito sucesso. 

Educação é um dever do Estado sim! É talvez o principal dever. Mas não precisa ser o Estado a contratar professores, cobrar horário, comprar lousa e merenda. Como em quase todas as coisas, a iniciativa privada pode fazer melhor e mais barato. As crianças agradecem.

Conheça mais sobre os fatos e casos do mundo todo no capítulo sobre educação do livro Carregando o Elefante. www.politicos.org.br/livro

Postado em 18/10/2016

Não dê a vitória aos piores

Está p... da vida com a política? Acha que todos são bandidos? Não é com você? Entendemos o sentimento, mas se você pensar assim está dando a vitória, por WO, para os piores dos piores.

Você pode não se interessar por política, mas tenha certeza de que a política se interessa por você.

Postado em 18/10/2016

Agência reguladora

Governos não são competentes para fazer buracos no chão procurando petróleo, operar loterias nem produzir aço. O bom governo ajuda a fiscalizar e regulamentar a economia de longe, assim como um bom árbitro de futebol, que apita o jogo, mas não sai roubando a bola dos jogadores nem fazendo gols.


Para isso existe a agência reguladora, como por exemplo o CADE. O trabalho é ficar de olho nas empresas, impedindo as grandes de se juntarem e assim formarem monopólios (uma empresa sozinha) ou oligopólio (poucas empresas sozinhas).

Leia mais sobre a importância das agências reguladoras no nosso livro Carregando o Elefantewww.politicos.org.br/livro

Postado em 18/10/2016

Juízes são importantes

Juízes são funcionários públicos muito importantes e precisam ter uma remuneração justa. A função é essencial para o bom funcionamento do país. Porém não pode ter regras tão distorcidas como tem hoje.

Postado em 18/10/2016

Odebrecht

Isso é, quase a metade dos Governadores e Senadores do País.

Postado em 18/10/2016

Governo bom é aquele que faz muito bem feito algumas coisas essenciais

 Ninguém aqui no Ranking acha que não deve haver governo. Só não deve haver ESSE tipo de governo que a gente vê no Brasil: ideológico, incompetente, corrupto, querendo tratar as pessoas igual neném, obcecado em criar mais e mais regras, mais e mais burocracia, mais e mais tributos.

Um bom governo concentra sua energia e atenção nos temas mais importantes, como segurança, saúde e educação, por exemplo. Não se mete a fazer buracos no chão procurando petróleo, nem entregar cartas, nem escolher qual artista sertanejo vai receber milhões em verba de lei Rouanet. Bom governo cobra um valor justo e moderado de impostos, de maneira simples e transparente, para todos entenderem. Ele garante que os programas sociais cheguem a quem realmente precisa, ao invés do dinheiro ser desviado, seja pela corrupção ou pela regras injustas da previdência, para minorias organizadas e barulhentas.

Se quiser saber mais sobre a visão de governo do Ranking dos Políticos, baixe gratuitamente nosso livro em www.politicos.org.br/livro

Postado em 18/10/2016

Somos roubados a cada compra?

Graças a uma boa lei, agora o cidadão é informado de quanto está sendo roubado pelo Estado a cada compra. Quando vc precisa se barbear, quando vai tomar um guaraná, quando coloca comida na mesa dos filhos e quando compra remédio para sua mãe, você é roubado. O dia inteiro, todos os dias da sua vida. A cada compra, a cada holerite.

É um dinheiro que deveria pelo menos ser empregado em boas escolas, hospitais e apoio para às pessoas na miséria, mas apenas migalhas chegam onde deveria. O resto é roubado, desperdiçado e torrado com privilégios para grupinhos pequenos de entrincheirados no poder.

Postado em 18/10/2016

Quem está no poder somos nós

Não dá mais pra se omitir. Informe-se. Cobre. Divulgue.

Postado em 18/10/2016

Não se pode gastar mais do que se ganha

Postado em 18/10/2016